Sustentabilidade

Go green in the city: Uma história de sucesso

Oi gente. Meu nome é Josiane Santos, tenho 23 anos e acabei de me graduar em Engenharia Civil. Hoje eu vim contar para vocês como foi o processo e porque vale a pena se inscrever no concurso GO GREEN IN THE CITY (GGC), promovido pela empresa Schneider Electric.

Você já pensou que não é inteligente o suficiente para participar de um concurso global? Já pensou que em meio a aproximadamente 7 bilhões de pessoas no mundo você é só mais um que não fará a diferença? Se você respondeu SIM para alguma dessas perguntas, pare o que estiver fazendo agora e diga: EU SOU O MELHOR! EU QUERO, EU POSSO E EU VOU CONSEGUIR! Este foi o primeiro passo que dei para me tornar uma finalista global da competição.

Muito bem! Depois dessa breve introdução motivacional, vamos ao que interessa. Eu descobri o GGC em uma das minhas buscas por oportunidades acadêmicas na internet. Imagine você lendo sobre uma competição de estudantes que te daria uma viagem com tudo pago para os Estados Unidos e ainda a oportunidade de construir uma carreira em uma empresa multinacional. Você gostaria de fazer parte disso? LÓGICO.

Fiquei super empolgada e comecei a fazer planos. Minha primeira missão seria encontrar um time de trabalho. No dia seguinte já conversei com três colegas de sala, que de prontidão toparam o desafio comigo. Marcamos o nosso primeiro encontro e aí…… a primeira decepção. Lendo o edital do programa mais minuciosamente, percebemos que a competição era para duplas e não para um time! Como escolher entre meus amigos apenas um para formar uma dupla? Primeira dica: leiam muito bem todos os critérios e requisitos do programa para não terem surpresas.

Pensamos em desistir. Seria chato competirmos uns contra os outros e além disso estávamos tumultuados com os afazeres acadêmicos. A vida de um estudante de engenharia nos últimos períodos se resume a projetos! O tempo foi passando, o prazo de inscrição estava chegando ao fim e aquela empolgação inicial esfriou. Deixa pra próxima!

Foi quando surgiu o primeiro anjo dessa história. Pedro Godoy, um dos colegas que eu havia convidado a participar da competição, assistiu a um webinar da empresa e trocou e-mails com uma das funcionárias. No email ela escreveu “Better done than perfect”. Essa frase encorajou meu amigo que veio falar comigo para não desistirmos. Então mais um vez, muitooooo obrigada Mayara.

Decidimos tentar. Tínhamos pouquíssimo tempo para desenvolver um projeto e enviar. Pedro tinha algumas ideias arquivadas e por sorte uma delas se encaixava com a proposta do programa. Desenvolvemos um pouco mais, adequamos o que foi necessário e enviamos (alguns dias antes do prazo final de inscrição). Segunda dica: Não deixem para a última hora.

Não estávamos com muita esperança. Mas antes feito do que perfeito! A primeira vitória foi quando vimos nosso projeto e nosso nome no anúncio dos semifinalistas. Foi uma sensação maravilhosa de autorrealização. A partir dali teríamos que trabalhar ainda mais no projeto. Sabíamos que não seria fácil. O fim de semestre se aproximando, as provas se acumulando….

Foi então que nosso segundo anjo apareceu. Corinne Fontenelle foi a nossa mentora da fase regional. Ela nos empolgava, nos deu dicas valiosas para aprimorar nosso projeto. Ajudou a nos preparar e treinar nossa apresentação da semifinal. Somos muito gratos a ela. E aqui vai a terceira dica: Aproveite as mentorias para aprender o máximo que puder. Eles estarão ali para você!

Chegou o dia da semifinal que aconteceria por vídeo conferência. Queríamos ser os primeiros a apresentar para acabar logo com aquela tensão. Adivinha? Fomos os últimos. Eram 5 equipes do Brasil e de outros países da América do Sul. Assistimos a todas as apresentações, ideias muito boas! E aí finalmente foi a nossa vez. No meio da nossa apresentação a nossa chamada caiu. Entramos em pânico! As apresentações eram cronometradas e se ultrapasse o tempo não poderíamos concluir. Parecia que o destino estava conspirando contra. Reconectamos o mais rápido que conseguimos e pedimos desculpas. Graças ao bom pai era a Mayara, nosso primeiro anjo, que estava presidindo o evento e ela havia pausado o cronometro. Estávamos com o psicológico abalado, mas respiramos fundo e terminamos de apresentar. Quarta dica: Tomem todas as precauções, chequem sua conectividade com a internet e se acontecer algum imprevisto, mantenham a calma! 

O resultado seria anunciado logo em seguida. Começaram anunciando o terceiro lugar. Não éramos nós! O segundo… também não! Será que perdemos tantos pontos e havíamos ficado em quarto ou quinto lugar? Uma das juradas falou: Que rufem os tambores… em primeiro lugar equipe RECYCLIN! (nome do nosso projeto).  Nós iríamos para Atlanta. Não tem como descrever a emoção. Não sei se era pra dizer mas o Pedro até chorou! haha

Comemoramos muito! Foi mais uma etapa vencida. Mas ainda tínhamos trabalho a fazer. E dessa vez o anjo que nos ajudaria se chama João Carlos, nosso mentor da fase final. Além de ser brilhante e ter nos ajudado imensamente, ele é um cara super alto astral, bem humorado e divertido. Nós nos divertíamos muito nas chamadas com ele.

Foram meses de preparação. Revisamos cada detalhe do projeto, antecipamos perguntas que poderiam nos serem feitas, treinamos, treinamos e treinamos. Os afazeres acadêmicos continuavam a todo vapor. Era o último semestre, TCC, projetos, provas… mas dessa vez nossa motivação estava mais forte do que nunca. Quinta dica: Dediquem-se o máximo que conseguirem.

A novela ainda não tinha acabado. Antes da viagem precisávamos ir em Brasília para tirar o nosso visto. Acreditem ou não, o meu visto foi negado! Eu não queria acreditar que depois de todo o esforço eu não iria apresentar o meu projeto. Mas a Schneider Electric é uma empresa que tem uma filosofia de cuidados com seus funcionários que foi transmitida a nós, finalistas da competição. Eles contrataram uma empresa especializada em visto para me auxiliar em uma nova tentativa. E deu tudo certo. Agora era só fazer as malas.

A viagem foi incrível. Conhecemos os outros finalistas do mundo todo, aprendemos mais sobre a empresa e seus projetos, nos divertimos muito. Até nos levaram para passear! A nossa apresentação foi muito boa, recebemos bons feedback dos jurados. Não fomos os vencedores, mas valeu a pena cada segundo!

Como vocês podem ver, nós enfrentamos muitos desafios no decorrer do caminho. Nem tudo é perfeito, só não podemos desistir! Então para finalizar darei minha última dica: Acreditem em si mesmos. Você pode, você é capaz! Você encontrará barreiras, mas cada vitória irá te fortalecer. Então não deixe de tentar.

As inscrições do GO GREEN IN THE CITY 2019 ainda estão abertas. Se você é estudante e tem uma boa ideia que pode transformar nossas cidades em um ambiente melhor para se viver, acesse o link abaixo e construa a sua própria história.

Texto de Josiane Pereira dos Santos.

https://www.linkedin.com/in/josiane-pereira-dos-santos-587b8699/


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)