Sem Categoria

Disjuntores: Entenda sua importância e saiba como funcionam

Os disjuntores são um dispositivo essencial no mundo moderno, e um dos mecanismos de segurança mais importantes em sua casa. 

 Sempre que a fiação elétrica em um edifício tem muita corrente fluindo através dele, essas máquinas simples cortam a energia até que alguém possa corrigir o problema. 

 Sem disjuntores, a eletricidade doméstica seria impraticável devido ao potencial de incêndios e outros casos resultantes de simples problemas de fiação e falhas nos equipamentos.

 Uma característica de segurança essencial em sua casa, disjuntores circundam lesões elétricas e incêndios. 

Como funcionam os disjuntores?

 O que faz um disjuntor? Um mistério para a maioria, essas maravilhas elétricas detectam e param o excesso de corrente em suas trilhas. 

 Eles geralmente desarmam quando há um circuito sobrecarregado ou curto-circuito, cortando a corrente para a linha de problemas até que o problema possa ser resolvido com segurança.

 Neste artigo, vamos entender sua importância e como funciona. O disjuntor é uma solução simples para um problema com grandes chances de ser mortal.

Para entender os disjuntores, ajuda saber como funciona a eletricidade doméstica.

A eletricidade é definida por três atributos principais:

 

  • Tensão
  • Corrente
  • Resistência

 

Tensão é a “pressão” que faz uma carga elétrica se mover. A corrente é o “fluxo” da carga — a taxa em que a carga se move através do condutor, medida em qualquer ponto específico. 

 O condutor oferece uma certa resistência a esse fluxo, que varia dependendo da composição e tamanho do condutor.

 Tensão, corrente e resistência estão todos inter-relacionados. Você não pode alterar um sem mudar o outro.

 A corrente é igual à tensão dividida por resistência (comumente escrita como I = v / r). 

 Isso faz sentido intuitivo: Se você aumentar a pressão trabalhando na carga elétrica ou diminuir a resistência, mais carga fluirá. 

  Diminuindo a pressão ou aumentando a resistência, menos carga irá fluir. Para saber mais, confira como funciona a eletricidade.

 

Então, como tudo isso se une em sua casa? Vamos descobrir.

 A rede de distribuição de energia fornece eletricidade de uma usina para sua casa. Dentro de sua casa, a carga elétrica se move em um grande circuito, que é composto por muitos circuitos menores.

 Em uma extremidade do circuito, o fio quente é levado à usina. A outra extremidade, conhecida como fio neutro, é levada ao chão. 

 Como o fio quente se conecta a uma fonte de alta energia, e o fio neutro se conecta a uma fonte eletricamente neutra (à terra), há uma tensão em todo o circuito — a carga se move sempre que o circuito é fechado. 

Diz-se que a corrente está alternando, porque muda rapidamente de direção. (Veja como as redes de distribuição de energia funcionam para obter mais informações.)

 A rede de distribuição de energia fornece eletricidade em uma tensão consistente (120 e 240 volts), mas a resistência (e, portanto, corrente) varia em uma casa. 

 Todas as diferentes lâmpadas e aparelhos elétricos oferecem uma certa quantidade de resistência, também descrita como a carga. 

 Esta resistência é o que faz o aparelho funcionar. Uma lâmpada, por exemplo, tem um filamento dentro que é muito resistente à carga fluindo.

 A carga tem que trabalhar duro para seguir em frente, o que aquece o filamento, fazendo com que ele brilhe.

 Na fiação da construção, o fio quente e o fio neutro nunca tocam diretamente. A carga que atravessa o circuito passa sempre através de um aparelho, que atua como um resistor. 

 Desta forma, a resistência elétrica nos aparelhos limita a quantidade de carga que pode fluir através de um circuito (com uma tensão constante e uma resistência constante, a corrente também deve ser constante). 

Disjuntores: vantagens

 Os aparelhos são projetados para manter a corrente em um nível relativamente baixo para fins de segurança. 

 Muita carga fluindo através de um circuito em um determinado momento aqueceria os fios do aparelho e a fiação do prédio a níveis inseguros, possivelmente causando um incêndio.

 Isso mantém o sistema elétrico funcionando sem problema algum na maioria do tempo. Mas ocasionalmente, algo liga o fio quente diretamente ao fio neutro ou outra coisa que leve ao solo.

 Por exemplo, um motor de ventilador pode superaquecer e derreter, fundindo os fios quentes e neutros juntos. 

Ou alguém pode enfiar um prego na parede, acidentalmente perfurando uma das linhas de energia. 

 Quando o fio quente é conectado diretamente ao solo, há resistência mínima no circuito, de modo que a tensão empurra uma enorme quantidade de carga através do fio. 

 Se isso continuar, os fios podem chegar a se superaquecer e começar um incêndio.

 O trabalho do disjuntor é cortar o circuito sempre que a corrente saltar acima de um nível seguro.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)