Sem Categoria

Internet das Coisas nos projetos: 7 itens que serão conectados nas casas do futuro

Já pensou em ter uma casa autolimpante? Uma cafeteira capaz de deixar o seu café pronto para o momento em que sair da cama? Ou uma geladeira que ajusta a temperatura sozinha para a bebida ficar gelada na hora que chegar em casa? Esses são alguns dos exemplos do uso da Internet das Coisas nos projetos.

Mais que uma comodidade para você ou para os seus clientes, as casas do futuro terão muito mais capacidade de automatizar atividades e trazer praticidade ao dia a dia. Para isso, é preciso saber como a IoT pode ser implementada e quais itens são passíveis de conexão. É o que apresentaremos neste artigo. Confira!

A Internet das Coisas nos projetos

Gadgets, aplicativos e automação residencial são alguns dos termos relacionados à Internet das Coisas (IoT). No ambiente corporativo, essa tendência já é muito falada. Nos projetos residenciais, tudo ainda parece o desenho dos Jetsons — e acredite: será assim em alguns anos.

Se você lembrar do desenho, provavelmente recordará que as portas se abrem de maneira automática, a empregada é um robô e as roupas são combinadas a partir de aplicativos, a fim de descobrir o melhor look para aquele dia e ocasião. Assim também acontecerá com as chamadas casas inteligentes.

Para entender o impacto dessa tendência, é preciso saber o que é a IoT. Esse conceito remete à conexão entre objetos e a internet. A partir disso, eles coletam e transmitem dados, que ajudam a tomar decisões e facilitam o dia a dia.

Em uma casa inteligente, essa tecnologia permite controlar ações variadas por meio de dispositivos móveis. Por exemplo: uma cortina é acionada a partir do conforto da sua cama — basta acionar o controle remoto. Ao mesmo tempo, a geladeira pode avisar quando falta algum alimento e a caixa de som equipada com assistente digital ouve e responde às suas perguntas.

Na rotina, é possível programar o ar-condicionado para ligar exatamente meia hora antes de chegar em casa, a fim de aproveitar o conforto da temperatura. Apesar dessa facilidade, os arquitetos precisam ter atenção à IoT nos projetos.

Por exemplo, se você sugere para o cliente a automação na cortina, é preciso colocar um ponto de energia junto ao cortineiro. Para evitar muitas reformas, é importante saber o que será utilizado desde o começo. Desse modo, é possível criar um ambiente com conforto e requinte.

Por todos esses motivos, a Internet das Coisas oferece grande potencial no Brasil. Até 2025, seu impacto econômico deve variar entre 4 e 11 trilhões de dólares no mundo, sendo de 50 a 200 bilhões de dólares no País.

7 itens que podem ser conectados

A casa do futuro ainda será diferente daquela que vemos em Os Jetsons. É bem verdade que um dia chegaremos lá, afinal, com a IoT nos projetos, estamos na direção certa. No entanto, esse processo passa por saber os objetos que podem ser conectados à internet. A seguir, listamos 7 deles. Veja!

1. Fechadura

As trancas inteligentes dispensam a necessidade de chaves e permitem que as portas sejam abertas e fechadas por meio do smartphone. Além disso, há modelos automáticos, como são utilizados em alguns veículos.

Em alguns casos, há a possibilidade de autorizar familiares e amigos a fazer o destravamento a partir de qualquer lugar do mundo. Tudo isso porque as fechaduras são conectadas e oferecem controle de acesso com Wi-Fi. O resultado é mais segurança e menor chance de roubos e invasões.

2. Eletrodomésticos

Os eletrodomésticos conectados são controlados a distância por aplicativos de celular e até comandos de voz. Algumas marcas já apostam nessa tecnologia, como o Google e a LG. Um exemplo é o closet inteligente que seca, esteriliza e passa as roupas ao borrifar ar quente.

Por sua vez, a geladeira pode avisar quando os alimentos estão no fim, o fogão ter receitas pré-programadas e a televisão pesquisar a trilha sonora de um filme com a ajuda de um comando de voz.

De quebra, esses eletrodomésticos favorecem a economia de energia e água, porque o consumo é monitorado e ajustado, de acordo com as necessidades. A própria smart TV, mais comum, já é um exemplo mais simples.

Para ter uma ideia, uma pesquisa da GS1 Brasil — Associação Brasileira de Automação descobriu que 44% das casas já têm esse modelo de TV inteligente e 11% contam com circuito interno de vigilância com câmeras que permitem visualizar as imagens em tempo real.

3. Ar-condicionado

O ar-condicionado é um dos primeiros itens de Internet das Coisas nos projetos. Conectados, eles equilibram a temperatura da casa antes de o morador chegar, são ativados a partir de qualquer cômodo e permitem criar programações personalizadas. Assim, é possível determinar os horários e os dias da semana específicos para que esse equipamento ligue ou desligue sozinho.

4. Máquina de lavar

O grande benefício da IoT nas máquinas de lavar roupa é a economia de água e energia elétrica. Isso acontece porque o ciclo é ativado e ajustado até mesmo pelo smartphone. O eletrodoméstico também tem sensores para mensurar a quantidade de sabão e amaciante. Quando eles estão para acabar, um pedido de compra é enviado de forma automática.

5. Máquina de café

O cafezinho fresco e gostoso é um dos benefícios da casa inteligente. Com máquinas programáveis, é possível acionar o equipamento a distância e receber notificações no smartphone quando o estoque de cápsulas ou de água estiver no fim. Ainda há possibilidade de ativar a cafeteira assim que o despertador toca, a fim de evitar a perda de tempo logo de manhã.

6. Iluminação

Um dos aspectos mais trabalhados nos projetos de Internet das Coisas é a iluminação. Por meio de uma comunicação maior, pode-se integrar também áudio e vídeo. Esse trabalho é facilitado porque as lojas já têm esse braço de automação. Com uma lâmpada inteligente, é possível mudar a cor e a intensidade por um aplicativo de celular, bem como programá-la para apagar e acender em horários predeterminados e a distância.

7. Assistentes digitais

A Siri e a Cortana são exemplos de assistentes digitais, mas para smartphones e notebooks. Nas casas do futuro, a ideia é igual, com a diferença de que essas assistentes digitais são capazes de ajudar em tarefas domésticas. Por exemplo, com elas é possível atualizar a lista do supermercado, ligar e desligar aparelhos, tocar uma música específica, telefonar para alguém etc.

Fica claro que, com todos esses recursos, há mais conforto, segurança e praticidade, certo? Assim, mais que uma tecnologia, a IoT é “como uma evolução do sistema de automação da casa inteligente, mas voltada para um universo mais amplo, inclusive de uma bicicleta ou um carro, por exemplo”, destaca a arquiteta Fabiana Teixeira.

Agora que você entendeu como implementar a Internet das Coisas nos projetos, chega o momento de indicar essa tecnologia para os seus clientes. Tenha em mente que, por mais que isso onere o trabalho, é uma facilidade passível de ser utilizada com um bom planejamento.

Gostou de conhecer melhor sobre a IoT e as suas facilidades para os projetos residenciais? Saiba mais sobre essa tendência entendendo que o presente é digital e o futuro, eficiente.

—–

Este conteúdo foi produzido com base na entrevista realizada com Fabiana Teixeira, Arquiteta.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)