ResidencialDecoração

Aprenda agora como montar um projeto de decoração vintage

Na hora de elaborar um projeto arquitetônico, é fundamental considerar diversas características. Ao ponderar as necessidades e as preferências dos clientes, é possível optar pelos variados estilos de decoração — e, entre as propostas, há a decoração vintage.

Essa alternativa permite criar uma composição que remete ao que já foi utilizado em décadas passadas. Ou seja, ao elaborar um projeto do tipo, dá para resgatar características de períodos anteriores. Trata-se de uma opção cheia de personalidade e saudosista, mas sem perder o estilo.

Para não ter dúvidas na hora de criar a proposta, veja como acertar na decoração com essa abordagem.

Quais são os componentes indispensáveis no estilo de decoração vintage?

Cada projeto deve ser desenvolvido de acordo com as possibilidades e com os interesses do cliente. Ao mesmo tempo, conseguir o efeito vintage depende da atenção a alguns elementos decorativos.

Ao conhecer os principais aspectos da decoração vintage, é viável planejar toda a proposta ao redor desses componentes. Por isso, veja quais são alguns fatores que não podem ser deixados de fora.

Tons pastel

Começando pelas cores, o estilo é marcado por uma paleta suave, mas que tem personalidade. Os tons pastel são a marca dessa proposta e dão um charme especial à composição. Eles são marcados pelo fundo levemente esbranquiçado, somado a outras cores.

O verde menta é o elemento principal, mas também há opções como azul bebê, lavanda, amarelo-claro e até rosa esmaecido. A ideia é compor ambientes com um toque colorido, mas sem pesar a mão.

Ainda é recomendado evitar o uso apenas de tons neutros, como branco e preto. Embora eles apareçam, o uso se torna mais pontual. Vale deixar de lado cores terrosas e paletas estritamente básicas.

Mix de estampas

Além das combinações de cores, vale conhecer as possibilidades relacionadas às estampas. Elas trazem a proposta de utilizar vários padrões para criar um resultado diferenciado e que evoca a sensação retrô.

É o caso de misturar, por exemplo, estampas florais às geométricas, como listras. Também há os arabescos, assim como opções relativamente psicodélicas e que usam formas sinuosas.

Para obter a melhor composição, vale optar por alternativas dentro da mesma paleta de cores. Ao harmonizar os tons, é mais fácil conseguir o resultado adequado usando diferentes peças.

Formas arredondadas

Outra característica marcante da decoração vintage é a presença de formas arredondadas. A escolha de elementos sinuosos tem muito a ver com essa abordagem e permite criar ambientes com ar retrô.

Isso acontece porque a priorização de linhas retas tem a ver com propostas minimalistas e modernas, como no estilo escandinavo. Já as peças antigas priorizam quinas arredondadas, linhas anatômicas e formatos especiais.

A geladeira é um eletrodoméstico que se destaca, por conta do visual que contraria as linhas retas atuais. Cadeiras, sofás, poltronas e até mesas e camas seguem esse estilo sinuoso.

Uso preferencial de madeira

Atualmente, é natural utilizar materiais tecnológicos para os móveis em diferentes cômodos. O uso de metal, e até de acrílico, é bastante comum em propostas modernas, mas não era tão frequente em recintos antigos — exceto em alguns aspectos.

Por isso, para montar uma decoração vintage é fundamental dar preferência à madeira. Esse produto dá o toque rústico necessário, ao mesmo tempo em que garante um resultado aconchegante e acolhedor para qualquer espaço.

Paralelamente, o material não precisa estar exposto. Em vez disso, vale apostar em uma cobertura colorida, com um tom pastel dentro da paleta de cada ambiente.

Pés palito

Ainda sobre os móveis, vale considerar que essas peças, normalmente, reúnem uma característica comum: os pés palito. Eles são famosos por serem um tanto mais finos e levemente inclinados.

Para a decoração vintage, é algo que ajuda a abrir o ambiente e otimizar a iluminação. Isso acontece porque é criado um espaço de circulação abaixo das peças, de modo a tornar a composição ainda melhor.

É importante escolher itens arredondados e que tenham um diâmetro condizente com o tamanho do móvel. Assim, é possível garantir as proporções de maneira adequada.

Metal nos pontos certos

Como falado, a madeira é bem-vinda nesse estilo, assim como em outras opções, como em um projeto de urban jungle ou rústico. No entanto, o vintage também utiliza o metal em pontos específicos e que ajudam a caracterizá-lo.

O material preferido é o ferro fundido, por seu aspecto forte e imponente. Ele é muito aplicado em peças comuns do ambiente, como molduras de espelhos antigos e em pendentes e lustres especiais.

No quarto, a cabeceira e a estrutura da cama podem ser compostas do material para dar um toque diferenciado. Desse jeito, é possível compor uma proposta única e que tem tudo a ver com a ideia desejada.

Utensílios de época

Para dar um toque antigo, é preciso colocar o ambiente no modo vintage por completo. Além das escolhas estéticas, vale pensar nos elementos relacionados à decoração e composição do espaço.

Uma das formas de obter o resultado desejado é usar objetos de época. Itens que sejam característicos de outros períodos são bem-vindos porque ajudam a transmitir a mensagem certa sobre o local.

Na sala de estar, ter uma vitrola ou gramofone é uma boa pedida, bem como um abajur de estilo antigo. Na sala de jantar, uma cristaleira tem tudo a ver com a proposta. Na cozinha ou na área externa, pôsteres, propagandas e placas de décadas anteriores dão o tom certo. Já o quarto pode ter baús de madeira e malas com toque retrô como elementos decorativos.

Mix de texturas

Embora as cores não sejam tão chamativas, a abordagem vintage é marcada por não ser tão discreta. Se o objetivo for criar algo autêntico e que realmente traga a sensação de espaço antigo será preciso apostar em uma composição de diferentes texturas.

Vale a pena, por exemplo, apostar em tapetes felpudos em contraste a um piso laminado ou de madeira. Também é interessante recorrer a mantas para o sofá e em cortinas com materiais distintos.

Se quiser uma sugestão menos intensa, projete um ambiente com capas de almofadas diversificadas. A ideia inclui misturar veludo, pelos, algodão, seda e outras composições. Com a escolha certa de cores ou estampas, o resultado fica interessante.

Revestimentos específicos

Além de tudo, a decoração vintage é conhecida por suas escolhas diferenciadas de revestimento. Azulejos e cerâmicas menores devem ganhar destaque em certos recintos, como cozinha e banheiro. Ainda na cozinha, a combinação de piso preto e branco é clássica.

Também vale apostar nos subway tiles, que são pequenos tijolos de cerâmica. Eles funcionam no banheiro, além de em ambientes da cozinha, como acima da pia.

Para completar, há os revestimentos de parede. O uso de textura é uma saída, bem como o papel de parede. Em versões estampadas e com ar envelhecido, o resultado fica interessante.

Como montar um projeto de decoração vintage?

Depois de conhecer os principais elementos que caracterizam esse estilo, é o momento de saber como elaborar um projeto de decoração vintage. É preciso ter muita atenção para alcançar um resultado que atenda aos desejos específicos do cliente e à proposta do visual.

Para não ter dúvidas sobre o gerenciamento de projetos arquitetônicos desse tipo, veja quais são as dicas principais para a sua elaboração.

Planejamento

Para criar os melhores ambientes é indispensável contar com um planejamento reforçado. A ideia é definir, antecipadamente, como os elementos serão usados para criar uma decoração vintage verdadeira. Confira os passos corretos e entenda como conseguir o resultado ideal.

Considere os interesses e as exigências do cliente

Um bom projeto arquitetônico é aquele capaz de suprir todas as demandas de quem o contrata. Somente dessa forma é possível obter máximo conforto e a melhor experiência, pois apenas a estética não é o bastante.

Então, faça uma reunião para compreender quais são as maiores necessidades e exigências do cliente. Entenda do que a pessoa (ou a família) gosta, qual é a personalidade e quais são as preferências. Isso ajuda a selecionar elementos como cores, estampas e revestimentos.

Também vale considerar como cada ambiente é usado. A decoração vintage precisa ser útil, então reconhecer a utilização do espaço é determinante para criar uma composição funcional. Uma sala de estar ampla e que recebe muitas visitas, por exemplo, requer mais assentos que uma menor e menos usada.

Verifique as possibilidades do espaço

Por falar nisso, o planejamento tem que considerar as características específicas do ambiente. Ao compreender o nível de iluminação natural, por exemplo, dá para pensar em qual é a necessidade quanto à iluminação artificial e à presença de interruptores. Já o tamanho do espaço ajuda a definir a disposição, a escolha das peças e como cada cômodo pode ser trabalhado.

Essa avaliação tem que ser feita para viabilizar os desejos e interesses levantados com o cliente. Muitas vezes, é preciso fazer adaptações das inspirações principais, já que todo cômodo tem características específicas.

Não abra mão da tecnologia

Embora a ideia seja criar um projeto de decoração vintage, não é preciso ignorar a tecnologia. Na verdade, é interessante adicionar esse elemento já no planejamento e usá-lo também durante toda a execução.

Pense, por exemplo, na automação de iluminação. Ainda que isso não estivesse presente em ambientes de décadas passadas, é algo que faz sentido para o cotidiano atual. Portanto, vale pensar em lâmpadas específicas, pendentes, interruptores e outros componentes.

Também é essencial ficar de olho em outros fatores, como a climatização e até a escolha dos materiais. Peças tecnológicas ajudam a garantir eficiência de execução e uso — e, desse jeito, devem estar presentes.

Elabore um projeto executivo completo

Depois de considerar todos esses pontos, é o momento de elaborar um projeto robusto. Ele vai orientar a realização das atividades que levarão à criação da decoração vintage.

Defina, por exemplo, quais serão as mudanças realizadas e quais etapas têm que ser executadas, em ordem. Estabeleça, ainda, responsabilidades de acordo com os profissionais envolvidos, bem como um cronograma e um orçamento.

Após a finalização, apresente para o cliente para que ele possa aprovar ou solicitar modificações. Ao receber o sinal verde, é hora de começar a botar tudo em prática.

Fornecedores

Antes de colocar a mão na massa, entretanto, é preciso considerar o papel crucial dos fornecedores. Afinal, essa escolha vai afetar diretamente na qualidade dos materiais usados na execução do projeto.

A seguir, entenda o que avaliar e como atuar corretamente em relação às escolhas.

Busque fornecedores experientes

Para evitar problemas durante as tarefas, é indispensável contar com fornecedores experientes e que ofereçam bons resultados. Depois de levantar o que será necessário, busque empresas de referência em cada segmento.

Mais que comprar tudo em um só lugar, busque os especialistas da área. Para adquirir bons revestimentos, é preciso ter o apoio de uma boa marca de cerâmica. Já para que todo o projeto elétrico saia conforme o esperado, é essencial ter os interruptores e as tomadas adequadas.

Tenha o cuidado de selecionar empresas com produtos certificados e que sejam reconhecidas no mercado para ter um bom desempenho.

Selecione materiais de alta qualidade

Além disso, é preciso optar por peças que apresentem uma qualidade reforçada. É algo que garante uma durabilidade reforçada do projeto e que mantém a beleza da decoração vintage ao longo do tempo.

É por isso, inclusive, que é tão importante escolher empresas bem posicionadas no mercado. Com a seleção dos parceiros certos, é possível ter a certeza de que você contará com os melhores componentes. Portanto, não deixe de fazer a especificação dos itens adequados para cada uso.

Negocie boas condições

Outro ponto importante da gestão de fornecedores tem a ver com as condições obtidas. Como profissional da área, é possível negociar parcerias, condições diferenciadas para certos projetos e até descontos especiais, em alguns casos.

Estabelecer um relacionamento duradouro com marcas, normalmente, é o melhor jeito para chegar a esse resultado. Então, novamente, é preciso fazer uma seleção cuidadosa de quem serão os fornecedores para os projetos — seja de decoração vintage, seja de qualquer outra proposta.

Acompanhe prazos e entregas

Depois de fazer todas as escolhas e orientar as aquisições, ainda é fundamental dedicar atenção especial ao fornecimento. É recomendado ficar de olho nos prazos oferecidos pelas empresas e nas condições de entrega.

Como um atraso pode prejudicar o andamento das demais etapas, é preciso estabelecer um planejamento sincronizado. Desse jeito, é possível evitar perdas de tempo ou até encarecimento do projeto.

Inclusive, a seleção certa das empresas diminui os riscos de atrasos ou outras dificuldades logísticas. Fique atento aos prazos e métodos de entrega para ter tudo à mão quando precisar.

Escolha dos móveis e materiais

Depois de reconhecer as características específicas da decoração vintage, é mais fácil selecionar as peças que vão compor cada ambiente. No entanto, a decisão sobre os móveis e os materiais ainda tem algumas exigências.

Afinal, a intenção é conseguir um projeto viável. Ao mesmo tempo, as características adequadas devem estar presentes. Por isso, confira como fazer a seleção ideal.

Garimpe móveis e peças antigas

Para dar originalidade e garantir a sensação certa para os espaços, vale buscar peças que sejam verdadeiramente de época. Itens de família são bem-vindos, assim como os encontrados em bazares e antiquários. Tudo isso traz autenticidade para a decoração vintage e faz com que tenha uma história especial.

Se for preciso, dá para realizar reformas nas peças antigas. É o caso de apostar na pátina ou em um envelopamento para conseguir o efeito verniz. Como resultado, ainda é possível obter algo customizado.

Traga personalidade aos ambientes

Na hora de utilizar os elementos que caracterizam essa decoração, é muito importante imprimir a personalidade dos moradores. Assim, além de escolher as cores e as estampas favoritas, tente deixar tudo com a cara do cliente.

Uma família jovem pede peças descoladas — ainda que remetam a outras épocas. Já um casal com um estilo refinado precisa de itens com um acabamento diferenciado. Desse jeito, é possível deixar a casa realmente com cara de lar.

Tome cuidado com o exagero

Um projeto de decoração vintage não precisa — e nem deve — ser caricato. Afinal, a intenção não é criar um cenário que parece ter saído de uma máquina do tempo. É claro que estabelecer uma atmosfera diferenciada é importante, mas o exagero tem que ser evitado em todas as suas formas.

O melhor a fazer é ter atenção ao selecionar as peças e como elas combinam entre si. O objetivo é criar algo inspirado e não, necessariamente, uma cópia de um lar de antigamente. Longe dos exageros, o resultado é muito mais interessante e funcional para o cotidiano.

Não se esqueça da sustentabilidade

Como falamos, é importante utilizar a tecnologia no projeto. E isso também vale para escolher os materiais e os móveis. A ideia é recorrer à arquitetura sustentável e tomar decisões que ajudem a construção a se tornar mais eficiente e até amiga do ambiente.

Os móveis de madeira, por exemplo, têm que ser de produto reflorestado e com a devida certificação. Já a escolha de alguns revestimentos limpos e que evitam desperdícios ajudam a garantir o visual certo, sem prejudicar o consumo de recursos.

Além de tudo, a automação residencial deixará o ambiente mais funcional e capaz de economizar energia elétrica em vários aspectos. Com boas definições, a integração com a proposta retrô não é afetada.

Por que é importante ter atenção aos detalhes na decoração vintage?

Montar um projeto de decoração vintage não passa apenas pela escolha dos materiais e das cores certas — também é muito importante ficar atento aos detalhes. Mesmo que um elemento pareça pequeno, como o posicionamento de um interruptor ou de um adorno, é algo que tem relevância no resultado.

Mas, afinal, por que dar atenção para os pequenos itens da decoração vintage é tão importante? A seguir, entenda quais são os pontos positivos desse cuidado!

Evita a confusão de estilos

Ao cuidar de cada elemento escolhido, é possível evitar um problema muito frequente na gestão de projetos arquitetônicos: a confusão de estilos. Não é incomum ver projetos que se propõem a ser vintage, mas que apenas representam a coleção de itens antigos. Há ainda os que são apenas rústicos ou até os com uma seleção moderna.

Quando a intenção não é misturar várias influências, a atenção aos detalhes garante que tudo saia conforme o esperado. Desse jeito, dá para obter um aspecto consistente e condizente com a proposta.

Garante autenticidade

Principalmente, ter cuidado com os detalhes faz com que os ambientes ganhem total autenticidade. Ou seja, tornam-se composições retrôs e que cumprem a ideia de algo relacionado a outras épocas.

Ao cuidar do tom de uma cor para que ela seja realmente pastel ou das capas da almofada do sofá, você consegue criar o projeto que atende ao que foi designado. Isso cria a atmosfera perfeita para cada espaço e torna possível aproveitar toda a beleza e as características ligadas a esse estilo.

Melhora a satisfação dos clientes

Quem procura um arquiteto em busca de uma decoração vintage, normalmente, tem uma visão bem clara do que deseja. Após a aprovação do projeto executivo, então, o cliente passa a ter certas expectativas sobre como será o resultado.

Com a atenção a cada detalhe, dá para atender ao que a pessoa espera com total eficiência. Isso gera muito mais satisfação por parte de quem contrata, o que traz um bom nível de reconhecimento profissional.

Otimiza o seu portfólio

O cuidado com as escolhas e os detalhes do projeto faz com que o resultado fique interessante também na hora de apresentá-lo para outros clientes. Com bastante autenticidade e alto nível de qualidade, você tem a chance de incluir algo muito melhor em seu portfólio.

Na prática, é uma forma de demonstrar suas capacidades para outros possíveis interessados. Com cada elemento escolhido minuciosamente, as pessoas se impressionarão com o que você já criou para outros contratantes — e isso pode alçar seu posicionamento no mercado.

Elaborar um projeto de decoração vintage não precisa ser complicado. Ao reconhecer as principais características, é possível criar um ambiente que atende a todas as exigências — só não se esqueça de ficar de olho nos detalhes!

Quer outras dicas para ter sucesso no ramo de arquitetura? Assine a nossa newsletter e acompanhe tendências e sugestões para melhorar o seu trabalho!


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)