Residencial

Vai uma Ajudinha: Guia para escolher o interruptor diferencial ideal

Os acidentes mais frequentes numa casa são causados por problemas elétricos. Por esta razão, qualquer bom eletricista profissional sabe como é importante ter um bom interruptor diferencial, um dispositivo eletromecânico que proteja as pessoas e as suas casas.

Um interruptor de corrente residual pode proteger contra contactos elétricos indiretos quando as partes metálicas acessíveis da instalação estão ligadas à terra. E, quando a sua corrente residual nominal é inferior ou igual a 30 mA, é também utilizada como meio suplementar de proteção contra contactos elétricos diretos, em caso de falha das outras medidas de proteção contra choques elétricos.

Em qualquer caso, para que funcionem perfeitamente, temos de garantir que escolhemos o interruptor de corrente residual correto.  A este respeito, a norma internacional IEC60755 classifica quatro tipos de interruptores diferenciais para aplicações de corrente alternada, e define-os de acordo com as correntes de fuga esperadas.

Para este novo artigo em Vai uma Ajudinha, a série que a Schneider Electric lhe dedica, eletricista profissional, discutimos sobre interruptores diferenciais com os nossos convidados Juan Alberto Pizarro, Diretor de Normalização, que nos aconselhou sobre todos os aspetos relacionados com a norma, e Raúl Romero, Gestor de Produto, que explica o melhor interruptor diferencial para cada caso.

Diferencial tipo AC

Os interruptores de corrente residual tipo AC, segundo a norma IEC 61008-1, são instalados em circuitos cujas cargas são de uso geral e são marcados com o seguinte símbolo normalizado:

Diferencial Tipo A

Os interruptores diferenciais tipo A, também segundo a norma IEC 61008-1, também protegem contra falhas detetadas por dispositivos do tipo AC e a sua utilização é recomendada em circuitos elétricos específicos onde o equipamento elétrico que pode gerar este tipo de falha deve ser ligado. Dentro desta tipologia, o de maior desempenho é o interruptor diferencial tipo A-SI ou superimunizado (SI), que são totalmente imunes a perturbações elétricas e também oferecem proteção adequada contra poeira, produtos químicos, humidade e outros agentes. Por conseguinte, oferece total segurança e maior continuidade de serviço.

Diferencial tipo F

Este tipo de diferencial segundo a norma IEC 62423 capaz de proteger contra falhas de isolamento que causam fugas de corrente contínua alisadas (corrente contínua sem ondulação) até 10 mA sobrepostas à corrente diferencial alternada.

Estes dispositivos também protegem contra falhas detetadas por dispositivos de tipo A e de tipo AC. Como padrão, devem ser marcados com os seguintes símbolos:

Neste caso, destacamos os interruptores diferenciais tipo F-SI, que oferecem maior proteção contra distúrbios elétricos e maior continuidade de serviço do que os interruptores tipo AC. O disjuntor diferencial (SI) super imunizado distingue mais especificamente os efeitos causados pela eletrónica dos aparelhos domésticos da forma habitual. Especificamente contra possíveis riscos para a instalação e/ou pessoas. A sua instalação é recomendada para a proteção de dispositivos com componentes eletrónicos tais como bombas de calor, bombas de piscina, unidades de ar condicionado, secadores de roupa ou máquinas de lavar.

Diferencial Tipo B

Este tipo de diferencial, segundo a norma IEC, é capaz de proteger contra falhas que causam correntes diretas suavizadas de até 10 mA sobrepostas à corrente diferencial alternada. São identificados através das seguintes marcações normalizadas:

Estes dispositivos protegem as falhas detectadas pelos dispositivos do tipo F, tipo A, tipo AC e, além disso, também nos seguintes casos:

  • Corrente diferencial alternada sinusoidal até 1000 Hz.
  • Corrente diferencial sobreposta a uma corrente contínua suavizadas de 0,4 vezes a corrente residual nominal de funcionamento do dispositivo ou 10 mA, o que for maior.
  • Corrente residual de pulsão contínua retificada resultante de duas ou mais fases.
  • Corrente residual contínua alisada se for aplicada repentinamente ou se aumentar lentamente.

Dentro desta tipologia destacamos os interruptores diferenciais Tipo B-EV, para veículos eléctricos, ou Tipo B-SI, ou seja, Super-imunizados.

Ideias chave

Para escolher o interruptor diferencial correto, deve ter sempre em conta o tipo de cargas que vão ser ligadas ao circuito elétrico a proteger.

Esta escolha deve ser feita caso a caso e não é aconselhável “generalizar” com uma única solução. Na proteção contra choques elétricos, é necessário subdividir as instalações tendo em conta a utilização de cada um dos circuitos, o que garantirá a continuidade do serviço e a adequação da protecção. Desta forma, será possível fornecer uma solução óptima em termos de custo e benefício, uma vez que a sobre proteção de um determinado circuito não é tão benéfica como a sua proteção inadequada.

 

 

 

 


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)