Residencial

Vai uma Ajudinha: Como impulsionar o negócio da eletricidade na era digital

Boas notícias: os eletricistas estão a registar uma grande procura e, como resultado, as suas agendas estão preenchidas – mas, ao mesmo tempo, a indústria também está a mudar. Neste novo artigo da série Vai Uma Ajudinha, a série que publicamos especialmente para os profissionais eletricistas, falamos sobre como impulsionar os seus negócios.

A compra e venda de casas, os trabalhos de renovação e a reabilitação de imóveis, entre outros projetos, estão a registar números recorde nos últimos meses, colocando o setor da construção num momento de esplendor. No entanto, as empresas de construção estão a sofrer devido à falta da mão de obra necessária para assumir novos projetos.

Neste sentido, assistimos a uma grande procura no mercado de trabalho por equipas de construção civil, o que inclui os profissionais eletricistas.

O que está a impulsionar este crescimento? Vários fatores:

  • O mundo está a tornar-se cada vez mais elétrico, com um aumento de três vezes no consumo de eletricidade previsto de 2020 a 2035, graças à adoção generalizada das TIC[1].
  • Até 2050, haverá mais 50 mil milhões de dispositivos conectados em todo o mundo que vão necessitar de energia[2].
  • O consumo de energia dos edifícios aumentará 50% até 2050[3].

Da mesma forma que a digitalização está a mudar o modo como os eletricistas trabalham, também está a transformar o modo como promovem e gerem os seus negócios. Como sempre, a reputação é fundamental para gerar novas oportunidades, mas as recomendações “boca-a-boca” são agora digitais. Sabe-se que mais de 65% das pessoas considera a pesquisa na internet como a fonte de informação empresarial mais fiável[4], e 80% consulta a opinião de outros consumidores antes de decidir comprar um produto ou serviço[5].

Ligar-se aos potenciais clientes através da Internet

Os desafios sem precedentes colocados pela pandemia impulsionaram a utilização das tecnologias digitais por parte dos profissionais da construção. Todo o setor está a digitalizar-se exaustivamente para estender os benefícios da internet aos profissionais e às empresas e, ao mesmo tempo, apoiar a uma transformação digital e ecológica.

A mensagem para os profissionais eletricistas é clara: se desejam que o seu negócio prospere neste novo panorama elétrico, precisam de estar visíveis online e de várias formas. Isto significa ter um website, que serve como base de toda a presença online e como veículo para encontrar novos potenciais clientes. Significa também tirar partido dos motores de busca e das redes sociais para se ligar a eles. Ninguém quer ficar para trás!

Acesso a formação e ferramentas online

As TIC também são fundamentais para os profissionais se manterem atualizados em relação às tendências e inovações do setor. A formação online, os cursos de e-learning e os webinars são ideais para os eletricistas com agendas ocupadas, permitindo-lhe adquirir conhecimentos e competências a partir do conforto da sua casa ou escritório. Com aplicações web, é possível gerir e orientar todos os projetos residenciais e comerciais, desde a fase de design até à apresentação de orçamentos. Para além disso, a aplicação assegura que os projetos estão em total conformidade com as normas e regulamentos atuais, com toda a tranquilidade que tal proporciona.

Saiba como pode acompanhar os avanços tecnológicos e as tendências dos clientes através de formação online gratuita em múltiplas plataformas, incluindo o programa mySchneider Electrician ou o nosso guia eletrónico sobre como construir o seu negócio neste novo mundo elétrico. Em linha com o nosso compromisso de apoiar os parceiros eletricistas na sua transformação digital, na Schneider Electric desenvolvemos o eGuide “Contruir o meu negócio” com aconselhamento sobre como gerar pedidos, relacionar-se com os clientes e promover o seu negócio utilizando as mais recentes ferramentas digitais.

 

[1] Estimativa da Schneider Electric

[2] Nações Unidas, DAESH – Cisco – AIE

[3] Nações Unidas, DAESH – Cisco – AIE

[4] Referência CCM

[5] Instituto Francês da Opinião Pública


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)