Residencial

Vai uma Ajudinha: A casa digital como a conhecemos em 2021

Os últimos dois anos demonstraram claramente que as casas são uma parte ativa da transição energética. O nosso mundo é cada vez mais digital e mais elétrico, pelo que consumirá mais recursos, e por isso devemos encontrar o equilíbrio para que este desenvolvimento seja responsável e sustentável.

É esperado que a adoção de dispositivos conectados continue a crescer de forma contundente nos próximos anos, tanto em Portugal como no resto do mundo – esta é uma tendência imparável e que tem contribuído muito para a criação de um novo modelo de casas, que serão, também elas, muito mais digitais e elétricas.

Falámos das últimas tendências das casas digitais com Rita Lopes, Product Manager da Schneider Electric, neste novo artigo do Vai Uma Ajudinha, a série que publicamos especialmente a pensar nos profissionais eletricistas.

Tendências da casa digital em 2021

O aumento dos dispositivos e sistemas conectados nas casas é impulsionado pela própria procura dos utilizadores: as pessoas querem que as suas casas se adaptem a elas, personalizando não só a sua estética, como também todas as funcionalidades que aumentem o conforto, a segurança e a sustentabilidade.

Para além da personalização, outras tendências que observámos em 2021 prendem-se com a automação doméstica – por exemplo, na iluminação e climatização – e a procura por uma maior segurança em casa. Contudo, a conectividade entre dispositivos continua a apresentar-se como uma das principais dificuldades para o consumidor.

Finalmente, e sobretudo tendo em conta os preços atuais da eletricidade, outra necessidade crescente nas residências é a de uma maior eficiência energética, que resulta também numa maior sustentabilidade.

A nossa visão

Com estas tendências muito presentes, em 2021 a Schneider Electric lançou soluções estratégicas que dão resposta às novas necessidades das casas. Uma das mais importantes foi o lançamento de atualizações na solução Wiser para as casas conectadas.

“Com o Wiser maximizamos a personalização de uma casa: iluminação e estores, sensores, câmaras, etc. Para além disso, fazemo-lo com uma tecnologia simples, que permite conectar e integrar diferentes dispositivos inteligentes na casa, com total interoperabilidade e controlando tudo através de uma única aplicação centralizada,” assegura Rita Lopes. O Wiser permite a criação de “Momentos”, nos quais podemos predefinir o estado de vários dispositivos com apenas um clique a partir da app Wiser by SE, e de automações domésticas, que para além de tornarem a casa mais confortável permitem-nos economizar entre 30 e 40% de energia.

Para além disso, com o Wiser, em 2021 lançámos uma família de sensores sem fios que ofrecem informação sobre situações críticas na casa sob a forma de notificações: sensores de inundações, de temperatura/humidade, de movimento e de abertura de portas/janelas.

Graças às automações, podemos predefinir ações para que esses sensores funcionem como uma ferramenta de segurança. Por exemplo, se for detetado movimento, podemos predefinir que as luzes se acendam ou que os estores se abram.

Continuando com a segurança, outra novidade neste 2021 foi a renovação da gama Resi9, pensada para proporcionar proteção residencial avançada – porque é sabido que uma grande dos incêndios domésticos ainda se deve a falhas de origem elétrica. “Temos que trabalhar em conjunto para, por um lado, aumentar a sensibilização para a necessidade de revisões elétricas periódicas e, por outro lado, incorporar soluções que ofereçam proteção elétrica avançada nas casas. O papel que os eletricistas desempenham nesta consciencialização é particularmente fundamental,” afirma Rita Lopes.

A gama Resi9 – de disjuntores automáticos e diferenciais, limitadores de sobretensões e outros – conta com um diferencial do tipo F-SI, que nos confere maior imunidade contra perturbações elétricas. Esta característica torna-a altamente recomendável para a proteção de equipamentos com variadores de velocidade monofásicos, que hoje em dia estão muito presentes nas casas: máquinas de lavar, dispositivos de ar condicionado “inverter”, bombas de calor, bombas de piscina, etc.

Possui também o religador diferencial RED, um dispositivo único que integra proteção diferencial e religação automática. O seu inovador sistema de controlo permite verificar se a falha desapareceu e colocar o diferencial novamente em funcionamento com rapidez e sem qualquer risco para as pessoas.

A linha conta com o selo “Green Premium” da Schneider Electric e as suas instalação e cablagem também são extremamente fáceis, incluindo disjuntores diferenciais de alimentação na parte inferior, que simplificam a cablagem para os eletricistas profissionais, evitando que se emaranhem. As novas caixas de distribuição foram projetadas para otimizar o espaço interior e contam com um chassis amovível para facilitar o manuseamento na parte externa do quadro e o encaixe correto na parede.

Em suma, na Schneider Electric trabalhamos, e continuaremos a trabalhar, para transformar as casas em smart homes, seguindo quatro premissas: personalização, resiliência, eficiência energética e sustentabilidade. Acreditamos firmemente que devemos encontrar o equilíbrio entre estes quatro atributos nas nossas casas, e é por isso que agora as devemos capacitar com as tecnologias mais recentes… e, para além disso, fazê-lo da forma mais simples e transparente para as pessoas.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)