Inovação

Brasil, o País da criatividade, da inovação e da diversidade

Apesar do sufoco que estamos passando nesse início de ano, com risco de racionamento de água e energia, o Brasil e o brasileiro têm a diversidade, a criatividade e a inovação como atributos. E essas características são reconhecidas menos internamente que no exterior.

Há duas semanas, tive o prazer de recepcionar Jasmine Lee and Keith Chan, dois jovens formados pela Unviersidade de Hong Kong e vencedores do Go Green in The City 2014. Como parte da competição promovida pela Schneider, eles podiam escolher, até 3 lugares onde temos operação, dentre os 140 países onde estamos presente. E o Brasil foi um deles!

Durante o bate-papo, eles comentaram que a cultura de inovação da Schneider, a possibilidade de fazer algo novo e diferente, foi um grande atrativo para disputar o Go Green. E, para eles, o Brasil é, mais do que uma economia em desenvolvimento, um país para se ter no radar. “A estrutura do mercado de eletricidade no Brasil é diferente da de Hong Kong. Essa estrutura especial e a atual crise energética aumenta a importância da conscientização sobre a eficiência energética e demanda novos serviços . As oportunidades chegam quando fazemos uso da nossa criatividade para resolver o problema de energia”, destacou Jasmine no blog onde registrou cada passo da visita.

E é verdade. Para mim, a diversidade é um grande catalizador da inovação e, por diversos motivos, inclusive históricos, o brasileiro é um povo criativo. Eu vejo isso pelo sucesso que o Go Green in the City faz no Brasil e também pelo êxito alcançado pelas duplas brasileiras. O desafio de criar uma solução capaz de suprir as necessidades das nossas metrópoles sem comprometer as gerações futuras instiga nossos talentos ano após ano. Já tivemos uma dupla vencedora, que desbancou pares dos Estados Unidos, da China e da Europa. Em 2015, temos mais uma dupla verde-e-amarela entre os finalistas. No dia 24/06, Lucas Santiago e Gabrielle Perdigão, de Minas Gerais, defendem o seu projeto para um juri formado por altos executivos da Schneider. A concorrência é forte: há duplas da Australia, China, França, India, Japão, Marrocos, Paquistão, Filipinas, Rússia, Turquia e Estados Unidos.

E aqui vai meu conselho para Lucas e Gabrielle: “Mantenham-se firmes em seus propósitos e ideais. Vocês ja conseguiram chegar longe, mas só com determinação, garra e foco poderão ir mais adiante e, quem sabe, ser a dupla vencedora de 2015, desbravando novos sabores e culturas como fizeram Keith e Jasmine; e até mesmo difundido o nosso tão inegualável e único Pão de Queijo. Façam a diferença, sejam criativos e inovadores na apresentação Global! E como diria Walt Disney: …”Eu gosto do impossível porque lá a concorrência é menor”.

PS: A nossa gastronomia e receptividade, também frutos da nossa criatividade, mistura e (por que não?) inovação, também impressionaram a dupla de Hong Kong. Alguém tinha dúvida disso? 😉


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)