Gestão de Máquina e Processos

Como estar na tendência das Smart Machines: o ABC da configuração de máquinas

Projetar uma máquina inteligente significa fazer muitas escolhas – desde o CLP e Inversor até os botões e tipos de interface. Um fabricante de máquinas precisa levar em consideração muitos elementos para construir a melhor máquina para seus clientes. Neste artigo, vamos dar uma olhada em alguns desses elementos e nas várias opções disponíveis para os OEMs.

Corrigir o básico

Quando se trata de determinar o melhor local para colocar as configurações em uma máquina, não é uma situação óbvia. Dependendo da função da máquina e das exigências do operador, as configurações (e uma interface simples) podem assumir várias formas e estar localizadas em locais diferentes, cada um com suas próprias vantagens e desvantagens.

Vejamos um cenário de exemplo: João é um fabricante de máquina que está construindo máquinas de panificação. O misturador de massa pode funcionar em diferentes velocidades para fornecer as consistências certas para os pães, e o forno obviamente também precisa se adaptar à temperatura e ao tempo de cozimento para cada tipo específico de pão. João precisa projetar uma máquina de forma que o padeiro possa controlar essas variáveis ​​de maneira eficiente e simples. Quais são as soluções à sua disposição e em que critérios ele deve basear sua decisão?

Vamos à quatro opções:

Solução 1: Dentro dos painéis – inversores, temporizadores e relés.

Opção 1

 

Prós: Somente engenheiros de manutenção treinados têm acesso, portanto, nenhum problema de alteração de parâmetros por engano.

Contras: seu operador não pode alterar o parâmetro sozinho, então sua flexibilidade é reduzida.

 

 

Solução 2: Na porta do painel – IHM

Opção 2

Prós: Todas as configurações estão em uma tela, acessíveis pelos operadores; você pode proteger a tela com uma senha se evitar erros é mais importante que a flexibilidade.

Contras: O preço de uma IHM (e seu engenheiro de programação) às vezes é muito alto para uma máquina simples.

 

 

 

Solução 3: Na porta do painel – temporizadores e interfaces de acionamento dedicadas

Opção 3

Prós: Configurações acessíveis pelos operadores; mais barato que um HMI; mais configurações em comparação com produtos mais simples que não acessam direto o inversor.

Contras: Várias interfaces são necessárias se a máquina requer configurações diferentes; cortes quadrados são caros para OEMs e fabricantes de painéis que não usam corte a laser.

 

 

Solução 4: Na porta do painel – temporizadores simples e potenciômetro

Prós: Configurações acessíveis pelos operadores; a solução mais simples e mais barata de implementar, com baixo custo, padrão de 22 mm de diâmetro, o mesmo que para um botão.

Contras: Várias interfaces são necessárias se a máquina precisar de várias configurações; apenas as funções mais simples estão disponíveis.

Depois de consultar seus principais clientes, João finalmente decide utilizar a solução 4 com um temporizador redondo na porta do painel. O que você teria feito no lugar dele?

Quer saber mais sobre design de máquinas? Clique aqui.

Não esquece de deixar seu comentário.
Um abraço


4 Responses
  1. Marcos Lima

    Gostaria de receber os catálogos da marca, estou interessado em representar uma marca na área de comandos elétricos! Na minha cidade estes materiais são muito difil de encontrar

    Responder
  2. José Vieira

    Somos clientes, mas atualmente temos dificuldades para comprar na schneider,apos as mudanças comerciais sou empresa de montagem de paineis eletricos e manutençao de lavanderia

    Responder

Leave a Reply

  • (will not be published)