Gestão de Infra-estrutura

A Edge Computing melhora a confiabilidade e o desempenho da nuvem

À medida que empresas de todos os tipos migram para aproveitar a computação hospedada na nuvem, elas também estão aprendendo que a estratégia e essa mudança  tem seu lado negativo. Em muitos casos, o computador hospedado na nuvem é uma arquitetura centralizada e depende que as empresas tenham uma ou mais conexões confiáveis com o data center em que se encontra, também tenham a infraestrutura da nuvem.

Para algumas empresas, esse é uma falha inaceivável, de tratando de um risco.

Para evitar isso, você pode usar o Edge Computing para aumentar a plataforma central da nuvem. A computação de perímetro consegue aproximar os aplicativos de energia, controle, armazenamento e o computador aos usuários finais que os utilizam. Ele também pode ser implementado em uma rede privada ou como parte de uma arquitetura maior baseada na Internet ou na nuvem.

O uso estratégico da arquitetura, oferece a oportunidade de  transformar implementação de computação em nuvem  totalmente centralizada para uma arquitetura mais distribuída. Isso significa que qualquer interrupção  irá se limitar apenas naquele ponto da rede em que ocorreu o problema, e não na implementação inteira da nuvem.

Com uma arquitetura de nuvem centralizada tradicional, um ataque de negação de serviço distribuído (DDoS) ou uma queda de energia no data center em nuvem, as ferramentas podem não estar disponíveis para todos os usuários. Mas quando a computação de borda é usada, qualquer interrupção seria limitada ao dispositivo de computação e às ferramentas locais nesse dispositivo.

As empresas têm algumas opções sobre como usar a computação de borda para oferecer maior resistência à implementação da nuvem.

Uma delas é uma estratégia híbrida que usa dispositivos simples para suportar ferramentas específicas e definidas. Um exemplo é um gateway de armazenamento em nuvem, que é um dispositivo local que atua como um dispositivo de rede ou servidor que traduz as interfaces de programação de aplicativos de armazenamento em nuvem (APIs), como SOAP ou REST. O uso desse gateway permite que os usuários integrem o armazenamento em nuvem em suas ferramentas sem movê-los para a nuvem.

Um passo pro futuro é empregar pequenos micro centros de dados de 10 racks ou menos.

Esses centros de dados geralmente estão disponíveis como sistemas sob demanda pré-configurados e configurados que podem ser montados no seu negócio. Ou podem ser centros de microdados completamente pré-fabricados, montados em uma única sala e simplesmente colocados no local. Esses sistemas de compartimento único também vêm em versões reforçadas que podem suportar condições ambientais adversas. De qualquer maneira, a ideia é replicar algumas ferramentas e armazenar a plataforma na nuvem centralizada para maior capacidade de recuperação e melhores tempos de resposta para usuários locais.

Uma terceira opção é empregar uma série de data centers regionais. Estas são instalações maiores, com 10 racks ou mais, que têm mais capacidade de processamento e capacidade de armazenamento do que um micro data center. Mas a ideia é a mesma: permitir que ferramentas na nuvem e no armazenamento fiquem mais próximas dos usuários que as estão usando, para melhorar o tempo de resposta e, ao mesmo tempo, adicionar outra camada de confiabilidade e resistência.

A computação em nuvem oferece algumas vantagens significativas para empresas de todos os tamanhos, incluindo maior agilidade e, geralmente, menor custo. A combinação da nuvem com uma estratégia de computação de ponta pode fornecer beneficios extras, incluindo maior confiabilidade e tempos de resposta mais ainda mais rápidos.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)