Gestão de Energia / Eficiência Energética

Como Cloud, IoT e Serviços Digitais impulsionaram o desenvolvimento de DCIM como um serviço

Não há dúvidas de que Cloud, a Internet das Coisas (IoT) e Serviços Digitais são alguns dos temas mais debatidos hoje em dia. Adicione Big Data e análises de dados, Comunicação Máquina a Máquina (M2M) e Inteligência Artificial e teremos praticamente todas as principais tendências de tecnologia que vemos atualmente. Portanto, não foi uma surpresa que a maioria desses termos fossem amplamente difundidos como perguntas apresentadas em campo, durante a recente apresentação do StruxureOn da Schneider Electric, líder global na transformação digital em gestão da energia elétrica e automação, durante o Innovation Day, evento de tecnologia promovido pela companhia, que aconteceu recentemente, em São Paulo.

Do nosso ponto de vista, IoT engloba todos os dispositivos que temos em um Data Center, que possui inteligência incorporada – aqueles que podem realmente se comunicar e serem compreendidos pelo software do computador. Como ocorre com o processamento e fabricação industrial, há uma grande variedade de dados, que nos permitem visualizar os processos, sendo gerados por equipamentos como bombas, aquecedores, resfriadores e pela energia elétrica que alimenta a infraestrutura que suporta a carga de TI.

Ao colocar dados em uma infraestrutura em Cloud, analisar esses dados e criar grandes volumes de informações (Big data), estamos devolvendo mais valor aos nossos clientes. Daquilo que podemos ver, esta é uma história bem maior na apresentação do StruxureOn. Trata-se de usar os dados para ajudar os usuários a melhor entender seus Data Centers, como eles estão operando, qual seu grau de eficiência, quantos alarmes e incidentes ocorrem ao longo do tempo, se os equipamentos são muito antigos, caso substitua componentes dentro dos dispositivos IoT, etc. É algo que resulta no fornecimento de informações muito mais práticas e em profundidade para eles.

Os dados analíticos já são essenciais para fornecer valor aos clientes. No entanto, eu acredito que estamos vendo apenas coisas superficiais nesta área. A oferta atual do StruxureOn inclui um relatório para o usuário, com a análise de suas unidades. Estamos deixando de analisar componentes ou dispositivos individuais situados no Data Center e fazendo uma visualização de nível mais elevado das tendências e da eficiência, e talvez de quais dispositivos que apresentam falhas ou que estão emitindo alarmes tipicamente.  A ideia é que se possa começar realmente entendendo onde se concentrar para otimizar o servidor, ao invés de enfrentar apenas uma grande parede de informações.

O StruxureOn segue claramente o modelo de cloud, em que os clientes precisam fazer apenas a habilitação de um gateway no Data Center para que os dados do ambiente físico possam ser carregados em um link criptografado e, em seguida, baixar um App para que as visualizações e alertas possam ser recebidos usando smartphones e tablets. Em um relatório recente, a 451 Research declarou que este estilo de serviços de DCIM baseados em cloud poderia ser potencialmente inovador, transformando abordagens manuais nas instalações remotas, acionadas por dados e (finalmente) automatizadas.

As grandes tendências que afetam a TI especificamente e muitos setores verticais também estão, em geral, tendo um notável impacto no Data Center. Elas não estão apenas impulsionando requisitos para as instalações da próxima geração, para processar e armazenar maiores volumes de dados resultantes, mas também fornecendo aos habilitadores de tecnologia que estão ajudando a mudar os Data Centers para uma direção mais confiável e autônoma, onde podem ser administrados de forma mais eficaz e eficiente. Nesse aspecto, IOT, Cloud e serviços digitais já deixaram sua marca no DCIM com a apresentação do StruxureOn.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)