Gestão de Edifícios

Como podemos melhorar as instalações de um edifício com a modernização do BMS?

Atualmente, as funções dos proprietários e dos operadores de edifícios vão mais além de simplesmente manter as instalações em funcionamento: deparam-se com desafios operacionais e financeiros que põem constantemente à prova a viabilidade das infraestruturas.

As novas tecnologias permitem inovar na gestão de edifícios, mudando completamente o paradigma e forçando uma mudança em relação à velha perceção de que uma infraestrutura é apenas um “centro de custos”. Agora todos os edifícios precisam de satisfazer novas necessidades e superar novos desafios, para garantirem o seu sucesso presente e futuro.

Neste primeiro artigo da série de Gestão de Edifícios da Schneider Electric, Toni Sanchez, Product Application Engineer, explica como pode melhorar as instalações dos edifícios através da modernização do BMS:

  1. Em primeiro lugar, os edifícios devem ser ciberseguros. Estudos recentes confirmam que 37.8% dos sistemas de gestão de edifícios está sujeito a ciberataques maliciosos. Como tal, neste mundo totalmente digitalizado, é fundamental proteger os imóveis onde as pessoas vivem e trabalham e dar uma resposta eficaz às ciberameaças constantes.
  2. Devem ser capazes de fazer mais com menos recursos. Para evitar que os Gestores de Edifícios tenham de se procupar com cada vez mais tecnologias e funções, e também para melhorar a eficiência operacional a custos reduzidos, é essencial recorrer à automação, que já melhorou a produtividade da economia global em 1.4%. Isto irá ajudar-nos a passar da manutenção preventiva planeada para uma abordagem mais proativa.
  3. Para se conseguir uma maior resiliência e eficiência operacional dos edifícios, é fundamental poder aceder e controlar remotamente os sistemas destas infraestruturas.
gestão de edifícios

Como os sistemas de gestão de edifícios (BMS) respondem aos desafios operacionais

Para se adaptarem aos desafios do futuro, os edifícios devem tornar-se mais sustentáveis, resilientes, hiper eficientes e centrados nas pessoas. Para serem assim, têm de contar com sistemas de gestão de edifícios (Building Management Systems – BMS) de última geração.

No entanto, é frequente encontrar sistemas de gestão de edifícios obsoletos nas infraestruturas atuais. O primeiro passo para garantir que um edifício pode adaptar-se às novas necessidades dos seus ocupantes e às novas tecnologias que estão a ser desenvolvidas é ter um BMS forte, fiável e preparado para o futuro que dê resposta aos principais desafios operacionais, como:

  • Reduzir os custos de energia e apoiar os objetivos de sustentabilidade. Quase 40% das emissões de CO2 provem dos edifícios, e mais de 30% da energia dos edifícios é desperdiçada. Os esforços de sustentabilidade estão a tornar-se um requisito indispensável para os edifícios. Deste modo, a modernização do BMS é uma forma de garantir que realmente se reduz o consumo de energia em todos os sistemas operacionais.
  • Melhorar a experiência dos ocupantes. Este ponto torna-se cada vez mais fundamental: para além do conforto, os utilizadores dos edifícios procuram uma experiência mais interativa e envolvente para melhorar o seu bem-estar e
  • Melhorar a utilização do espaço. Face a uma nova realidade onde o teletrabalho ganhou espaço, é importante alcançar este objetivo através de escritórios e apartamentos flexíveis que se adaptam às exigências e utilizações em mudança.

Todos estes aspetos contribuem para melhorar os objetivos empresariais e aumentar o bem-estar dos ocupantes, ao mesmo tempo que incrementam o valor dos edifícios e os tornam mais apelativos para novos investimentos ou inquilinos.

gestão de edifícios

Que características deve ter um sistema BMS para que os edifícios se adaptem às novas exigências e tecnologias?

  • Cumprir as normas e regulamentos vigentes e contar com cibersegurança de primeira classe.
  • Capacidade para suportar as aplicações e funções mais recentes, que poupam tempo e custos.
  • Ser uma plataforma de integração aberta e escalável.
  • Ser capaz de tirar partido da computação na Cloud para realizar análises e serviços digitais baseados em Inteligência Artificial.
  • Contar com uma arquitetura concebida para o acesso móvel aos dados, bem como para o controlo, no sentido de melhorar a produtividade dos colaboradores no local e a experiência dos seus ocupantes.

O BMS é o coração dos nossos edifícios, das nossas casas e dos nossos espaços de trabalho. O mundo está a mudar e abre o caminho para uma nova era que está a transformar rapidamente os locais onde vivemos, trabalhamos e passamos grande parte do nosso tempo. Este novo contexto vai levar-nos, sem dúvida, a uma gestão de edifícios conectada e inteligente, que nos permitirá enfrentar os desafios que se avizinham.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)