Gestão de Edifícios

Por que a sustentabilidade do edifício hospitalar também é assunto da TI?

Ter sistemas integrados e operações otimizadas é fundamental para um hospital inteligente e sustentável. E tudo isso passa pela área de TI, que deve aprimorar conhecimentos e habilidades.

Assim como todas as áreas de uma empresa, a TI precisa ficar atenta às questões de sustentabilidade. Os hospitais, em especial, são grandes consumidores de energia elétrica e que precisam funcionar 24 horas por dia, 7 dias por semana. Por isso, para esse tipo de edifício, surgiram novas tecnologias, capazes de trazer grande redução no consumo energético. Mas, para tanto, é importante atualizar a infraestrutura hospitalar e isso envolve, naturalmente, as equipes de tecnologia da informação.

“Hoje em dia, tudo demanda dados e eles são extremamente importantes para a tomada de decisão. Todos esses dados são armazenados em data centers, que são, por sua vez, grandes consumidores de energia. Por esse motivo, TI tem um papel fundamental para reduzir os impactos em sustentabilidade”, explica Marcio Favarello, gerente de contas estratégicas na Schneider Electric para o segmento Building.

Ter operações otimizadas por meio da IoT (Internet das Coisas) é outro exemplo do envolvimento da TI no sentido de viabilizar um hospital sustentável. “Um hospital moderno utiliza, por exemplo, sensores, que monitoram as operações em tempo real. A partir de uma plataforma de IoT, é possível coletar dados e, na sequência por meio de plataformas de software e advisors, produzir informações relevantes para os usuários. O objetivo é manter o desempenho do hospital de forma otimizada, pelo maior tempo possível”, explica o professor Luiz Carlos Pereira da Silva, engenheiro com doutorado em Engenharia Elétrica e coordenador do projeto Campus Sustentável da UNICAMP.

TI e ESG

Não basta olhar para a sustentabilidade de maneira prática, pensando somente em redução de gastos e otimização de operações. É importante, também, ter uma visão amplificada e integrada, seguindo com condutas que sejam benéficas para a sociedade. Para isso, existem as diretrizes de ESG, com as quais a TI, assim como outras áreas, deve estar conectada.

“Para armazenar todos os dados gerados em hospital, são empregados data centers com alta capacidade de processamento e armazenagem, que para seu perfeito funcionamento e desempenho dependem de grandes máquinas de ar condicionado de precisão que  consomem muita energia e que em suas versões mais antigas empregam fluidos refrigerantes danosos à camada de ozônio. No caso da infraestrutura de energia crítica, os nobreaks (UPS’) utilizam grandes volumes de baterias, tornando necessário  pensar em todo ciclo de vida  e circularidade dos mesmos. Além disso,  é necessário pensar na cadeia de fornecedores de forma sustentável, pois ninguém é sustentável sozinho”, diz Marcio Favarello.

Nesse sentido, transmitir os valores da organização para toda a sua cadeia de fornecedores também é uma habilidade importante a ser considerada.

Os novos profissionais

A velocidade com que a tecnologia evolui, somada às demandas cada vez mais urgentes da sociedade – e do planeta – são fatores que praticamente obrigam profissionais de TI a se atualizarem constantemente. Isso vale tanto para o conhecimento técnico como, também, para o aprimoramento das chamadas soft skills. É bom lembrar que, em geral, a formação desses profissionais é bastante focada em dados.

Segundo o professor Luiz Carlos, ter uma visão integradora é fundamental para atingir as metas de sustentabilidade em qualquer empresa. Ou seja, é necessário saber dialogar e trabalhar em conjunto com todas as áreas da organização, como a de TA (tecnologias de automação), infraestrutura, manutenção, entre outras.

 

Confira também: [E-book] Hospitais do futuro: como construir edifícios inteligentes

Artigo original: Saúde Business

edifício hospital edifício hospital edifício hospital edifício hospital edifício hospital edifício hospital


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)