Gestão de Edifícios

Cascateamento e backup: Por que a coordenação deve ser obrigatória

Em nosso primeiro blog, abordamos a coordenação combinada de dispositivos em relação ao de curto-circuito e dispositivos de backup. Vamos nos aprofundar um pouco mais.

Por que a coordenação combinada de curto-circuito é chamada de cascata?

Um disjuntor a montante ajuda os dispositivos a jusante a interromper as correntes de curto-circuito que são maiores do que suas capacidades finais de interrupção – ou seja, as correntes de curto-circuito mais altas que eles podem interromper.

Como? O disjuntor a montante limita a corrente de curto-circuito e deixa passar uma corrente muito mais baixa que todos os disjuntores a jusante podem suportar.

O efeito é como se fosse de uma cascata, onde a corrente do fluxo é diminuída pela passagem de cada fase.

Obviamente, o disjuntor limitador a montante deve ter uma capacidade de interrupção igual ou superior à corrente de curto-circuito projetada em seu ponto de instalação.

Quais as vantagens do cascateamento?

O cascateamento alivia o estresse eletromagnético, eletrodinâmico e térmico no equipamento de distribuição, torna-o mais confiável e prolonga a vida útil.

E torna as coisas mais baratas e simples. É fácil – bem, muito fácil – escolher um único CB limitador a montante da tabela em cascata do fabricante. E você pode escolher disjuntores downstream com classificações mais baixas, já que as correntes de passagem são mais baixas do que as classificações calculadas inicialmente. Avaliações mais baixas significam dispositivos mais baratos.

                                                                                                                   Exemplo de cascata de três níveis

A fácil seleção de soluções alternativas de produtos com base em análises de discriminação e propostas em cascateamento, pode ser feita pelo uso do nosso software para modelagem da solução.

Exemplo de software EcoStruxure Power Design: cálculo da instalação elétrica de BT de acordo com os padrões internacionais ou nacionais

Coordenando dispositivos de backup: o que queremos dizer com backup?

Os dispositivos de backup protegem aqueles que não estão inicialmente protegidos contra correntes de curto-circuito e sobrecargas. Normalmente, o dispositivo de backup seria um disjuntor. E aqueles que ele protege são dispositivos controladores comuns, como interruptores, contatores, interruptores de relé de impulso, dispositivos de corrente residual (DR), dispositivos de proteção contra surtos (DPS), etc. Eles fazem apenas o que foram projetados para fazer – por exemplo, proteger contra fuga à terra ou ligar e desligar os circuitos – e estão sujeitos a danos. No caso de uma alta corrente de curto-circuito ou sobrecarga, eles se desgastam, queimam e soldam seus contatos. Por isso a necessidade de proteção de dispositivos de backup.

O que e por que dos tipos de coordenação 1 e 2

Alguns padrões de produtos existentes, na verdade, e estipulam dois “graus” de proteção de backup coordenada.

A IEC 60947-4-1, que rege os padrões para contatores, descreve dois tipos de coordenação para evitar danos aos operadores e usuários.

No Tipo 1, o contator deve ser reparado ou substituído, portanto, o sistema deve ser parado.

Neste caso, o disjuntor protege o alimentador de saída, mas não o contator. Portanto, embora você esteja seguro, o contator pode estar danificado. E só há uma maneira de descobrir que é – olhar e ver.

Isso pode ter um impacto significativo no tempo de parada da instalação.

A coordenação do tipo 2 requer que o contator continue operando. Portanto, qualquer corrente de falha de curto-circuito que ocorra a jusante deve ser eliminada sem afetar o contator.

A coordenação do tipo 2 é para processos críticos em que o tempo de parada pode custar vidas ou dinheiro.

Os fabricantes devem fornecer tabelas de coordenação de dispositivos aplicados e testados.

A coordenação não deveria ser obrigatória?

Sim. Como contatores, DRs, DPSs, também mostram por quê.

Eles requerem proteção contra correntes de falta a montante. Eles entendem quando são coordenados em série com disjuntores.

Se o circuito de saída não for coordenado em série, pode ocorrer fuga à terra. E isso pode ser perigoso.

Os DRs precisam de proteção à montante. Assim como os dispositivos de proteção contra surtos.

Eles também, podem chegar ao fim da vida útil, podem superaquecer e iniciar curto-circuito no quadro de distribuição se não forem coordenados com um disjuntor a montante.

O backup devidamente coordenado é vital. O padrão HD50573-5-57 reconhece isso, tornando a coordenação obrigatória… Estava na hora.

Texto fonte aqui.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)