Gestão de Edifícios

Como retirar valor empresarial da Norma Europeia para os Sistemas de Gestão Técnica dos Edifícios – EN 15232

Francisco Pombas é o Diretor Comercial da Domótica SGTA. A Domótica SGTA é um parceiro EcoXpert™ de nível Master.

De acordo com o Parlamento Europeu (PE), cerca de 75 % dos edifícios existentes NÃO se qualificam como sendo energeticamente eficientes. Na verdade, o PE afirma que os edifícios consomem 40 % da utilização final de energia na Europa. Por esta razão, regulamentos tais como a Norma Europeia EN 15232 foram reforçados para enfatizar uma melhor eficiência energética, promover edifícios mais ecológicos e para aumentar o controlo através de sistemas de gestão centralizada de edifícios (GTC / BMS).

Para os governos e cidadãos, esta é uma boa notícia, pois um menor consumo de energia equivale a emissões de carbono mais baixas e tais ações contribuem para os esforços de redução do aquecimento global. Para os proprietários, embora tais regulamentos impliquem que as suas carteiras de edifícios sema alvo de alterações para garantir a conformidade regulamentar, esses esforços de modernização resultarão em custos energéticos muito mais baixos, garantindo um retorno do investimento a médio prazo.

Enquanto parceiro EcoXpert™ BMS Schneider Electric de nível Master, especializado na conceção, instalação e colocação em funcionamento de sistemas para gestão predial e automação de edifícios, a nossa empresa Domótica SGTA, ajuda as organizações a cumprir estas normas de eficiência energética. Os nossos especialistas apoiam proprietários, consultores de engenharia, empreiteiros e até utilizadores finais, através da implementação adequada da legislação e diretivas regulamentares. Também aconselhamos os proprietários dos edifícios sobre a melhor forma de gerar poupança de energia nos seus ativos imobiliários.

Regulamentos pressionam proprietários de edifícios a reduzir emissões de carbono

As recentes revisões à Diretiva Europeia relativa ao Desempenho Energético dos Edifícios (EPBD) estabelecem os novos níveis-alvo de consumo energético a atingir. A norma EN15232, actualmente me vigor, define quatro classes (A, B, C e D) de eficiência dos sistemas de gestão técnica centralizada (GTC) – a classe D é designada a categoria menos eficiente, enquanto a classe A representa a categoria mais eficiente. Cada uma destas classes define especificações para o aquecimento, refrigeração, ventilação, iluminação e interceção da luz solar do edifício. Os ganhos em termos de eficiência são significativos para os proprietários dos edifícios que progridem além da classe C; os edifícios de classe B geram uma poupança de energia de cerca de 20 %, enquanto os edifícios de classe A podem gerar uma poupança de energia de até 40 % em alguns tipos de edifícios.

Cada Estado-membro da União Europeia é livre de decidir como transpor estas diretivas para as leis nacionais. Em Portugal, onde a nossa empresa está sediada, era obrigatório, desde 2013, instalar nos novos edifícios um sistema de gestão técnica centralizada de classe C ou superior. Em de 2019, essa exigência foi reforçada, sendo atualmente obrigatório a instalação em novos edifícios de um sistema de classe B ou superior.

A intenção da EN15232 – Classe B ou A – é permitir ao proprietário do edifício controlar o consumo de energia até ao nível de cada divisão num edifício. No ambiente de um edifício de escritórios, por exemplo, os vários escritórios, salas de reuniões, open spaces, zonas sociais e circulações devem ter uma capacidade de controlo independente para otimizar a eficiência energética.

Custos de implementação descem com o aumento da poupança de energia

Ao abordar estes requisitos, ajudamos os nossos clientes a desenvolver e validar soluções técnicas e aconselhamo-los sobre a forma de operar ativos fundamentais, tais como chillers, caldeiras, bombas e unidades de tratamento de ar. Também recomendamos que os nossos clientes instalem controladores de zona. Estas tecnologias controlam a temperatura, ventilação, iluminação e estores em cada divisão. Os controladores de divisão devem ter a capacidade de controlar cada espaço específico, de forma a otimizar a redução do consumo de energia (tais como sensores de ocupação que permitem um menor controlo do ambiente quando a sala está desocupada).

A princípio, tal atualização pode parecer uma proposta dispendiosa devido ao volume de controladores que são necessário instalar (um por cada espaço independente), especialmente em edifícios de maiores dimensões. Há cinco anos atrás, teriam sido necessários 50 sistemas de cabeamento para integrar 50 controladores de zona na rede IP do edifício (topologia em estrela). Atualmente, graças aos avanços das tecnologias de conectividade, basta um único bus para ligar até 50 controladores diferentes à mesma rede IP (topologia daisy chain). As poupanças associadas à adopção desta solução técnica de cablagem são significativas.

A capacidade de rastrear dados aumenta o desempenho energético e aborda a questão da conformidade

Os novos regulamentos também exigem que os proprietários dos edifícios desenvolvam a sua capacidade de recolher e reportar dados do desempenho energético dos edifícios. Em Portugal, a lei obriga os proprietários dos edifícios a ter, pelo menos, seis anos de dados disponíveis. Devem ser documentados importantes pontos de controlo, tais como o consumo de energia elétrica, gás e água. Portanto, é necessário efetuar cópias de segurança das bases de dados do sistema energético e de gestão de edifícios, para que os dados possam ser disponibilizados para análise centralizada. Nesta área, apoiamos os clientes com software analítico que rastreia e documenta os resultados gerados pelos nossos sistemas otimizados de controlo de edifícios.

Para saber mais sobre o modo como as soluções digitalizadas de automação de edifícios podem melhorar o cumprimento dos regulamentos e, ao mesmo tempo, reduzir os custos energéticos dos edifícios, veja alguns dos nossos projetos.

Saiba mais sobre as Soluções de Gestão de Edifícios

Quer saber como a Domótica SGTA, um EcoXpert Schneider Electric, está a ajudar a conceber, instalar e colocar em funcionamento sistemas de controlo e gestão de edifícios (BMS)? Leia mais aqui.

A Domótica SGTA também possui certificação EcoXpert de nível Master para: Controlo de Iluminação e Divisões.

Interessado em conhecer o nosso Programa de Parceiros EcoXpert? Visite o nosso website para mais detalhes sobre os benefícios para parceiros de negócios.

Parceiros EcoXpert™ – os Braços de Implementação da EcoStruxure™

O Programa de Parceiros EcoXpert é único no seu setor e é composto por um ecossistema global de conhecimentos especializados que é o melhor da sua classe. Formados e certificados pela Schneider Electric, os EcoXperts são os braços de implementação da EcoStruxure e Wiser em todo o mundo.

Programa de Parceiros EcoXpert da Schneider Electric junta os principais fornecedores de tecnologia do mundo, que apresentam as melhores competências de integração de sistemas na otimização de instalações, infraestruturas fiáveis e gestão de energia da sua classe, com os seus clientes de todo o mundo. Somos mais fortes juntos: esta parceria cultiva a colaboração, liga especialistas e fornece os melhores serviços e soluções da sua classe.

Consulte EcoXpert para saber mais.

 


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)