Energias Renováveis

Resiliência para Recuperação: Como profissionais de energia e sustentabilidade podem se preparar para a retomada

Contribuição de: John Hoekstra, vice-presidente de Sustentabilidade & Cleantech, Schneider Electric Energy & Sustainability Services

Estamos vivendo em uma época extraordinária, como poucos de nós podemos imaginar há poucos meses atrás. As ramificações do COVID-19 na saúde física e mental humana, na economia global, nos negócios (incluindo muitos de nossos clientes) e muito mais são simplesmente insondáveis.

Embora o otimismo seja difícil durante tal tragédia, há resultados da resposta global a esta crise que precisam ser examinados. Um é a coordenação e ações sem precedentes dos governos mundiais para desacelerar e controlar a propagação do vírus. Outra é a reação empática que o vírus trouxe, incentivando as pessoas a cuidarem umas das outras. Outra ainda é o impacto planetário. Embora o vírus tenha efeitos devastadores em nossa economia, também observamos uma queda nas emissões globais e na poluição do ar, além de um comportamento mais consciente no consumo de bens.

A situação levou muitos a traçar paralelos com a resposta global – ou a relativa falta dela, até agora – às mudanças climáticas. A ameaça aguda do vírus já ceifou milhares de vidas; no entanto, a existência de uma ameaça de mudança climática também é uma emergência de saúde global, afetando milhões de pessoas a cada ano e com potencial de afetar ainda mais no futuro.

Se pressionado para encontrar uma fresta de esperança, o valor relativo da pandemia é que ela nos deu uma oportunidade única de praticar nossa resposta a uma ameaça global; prática que nos servirá quando se tratar de mudanças climáticas. Aprendemos com que rapidez e radicalidade podemos implementar medidas sociais e financeiras de amplo espectro. Identificamos lacunas em nossos sistemas, como na cadeia de suprimentos, que devem ser mitigadas. Também vimos a velocidade e a agilidade com que os negócios globais se articulam, encontrando oportunidades para experimentação operacional e inovação transformacional neste momento difícil.

Embora lentamente – e à medida que descobrimos uma nova maneira de trabalhar – o mundo está sedento por uma mudança em direção à recuperação, seja no nível nacional, corporativo ou individual. Para os profissionais de energia e sustentabilidade, isso significará voltar ao trabalho de atingir metas cada vez mais ambiciosas em torno da redução de carbono. A queda nas emissões de carbono durante esta crise é quase que certamente temporária, e os esforços para estimular a economia podem ter um efeito de recuperação. Agora é o momento ideal para garantir que você tenha uma estratégia clara, pragmática e econômica e um roteiro de execução para atingir seus objetivos em um cenário de recuperação.

Com isso em mente, aqui estão três observações para estimular seu pensamento:

1) A ação unida sobre a mudança climática é possível

Essas circunstâncias demonstram claramente que uma resposta global coordenada a uma crise pode ser alcançada em um tempo relativamente curto. O que poderia ser um resultado “míope” da pandemia é um retorno ao business-as-usual. Não podemos nos dar ao luxo de fazer isso quando se trata de mudanças climáticas. Em vez disso, podemos aproveitar este momento para abraçar a transformação e a inovação para melhor.

Isso não significa que precisamos parar a economia global. O que é notável na ação contra as mudanças climáticas, e que os profissionais de energia e sustentabilidade já percebem, é que hoje temos muitas soluções, com novas tecnologias e inovações surgindo a todo momento. Algumas dessas soluções (energia renovável e microgrids, por exemplo) fornecem economia de custo adicional e benefícios de resiliência que podem impactar positivamente os resultados financeiros e ajudar os negócios à prova de futuro contra interrupções. Eficiência energética significa que você está economizando dinheiro sendo inteligente em relação ao modo como o está usando. Outros, como as práticas da economia circular, impulsionam a criatividade, a engenhosidade e o crescimento em face de recursos finitos.

Agora é o momento ideal para se unir e aprender com outras pessoas – empresas semelhantes, indústrias adjacentes, fornecedores e líderes de pensamento – e compartilhar as melhores práticas que nos tornarão mais fortes e mais bem posicionados para agir sobre as mudanças climáticas quando o momento da recuperação chegar para isso.

2) Podemos aprender com as lacunas

Todos nós fomos afetados pela pandemia e experimentamos em primeira mão as lacunas que ela está revelando. De lojas ficando sem o essencial em face de uma demanda inesperada, a escolas e empresas lutando para acomodar aprendizagem e trabalho virtuais, ao desenvolvimento e implementação de planos de contingência instantâneos para continuidade, a ameaça nos mostrou onde nossa sociedade global e a economia é vulnerável.

Mas esta também é uma oportunidade enorme. Não só deu origem à inovação e cooperação no momento, mas também testou a pressão de muitos dos sistemas dentro do escopo de controle ou influência dos profissionais de energia e sustentabilidade.

É um momento oportuno para as empresas refletirem sobre essas vulnerabilidades e catalogarem as áreas que devem ser enfrentadas diante de

outras ameaças, como as mudanças climáticas, que têm potencial para interromper negócios de forma semelhante. À medida que as empresas se recuperam, temos uma oportunidade única de reconsiderar a importância da eficiência dos recursos, os perigos do risco climático que levam à instabilidade da cadeia de suprimentos e a necessidade de resiliência de energia e recursos para garantir a continuidade futura. Planejar e preparar seus negócios para o futuro por meio de análise diligente de cenários climáticos e avaliação de riscos é uma etapa crítica para gerenciar riscos futuros.

3) É uma questão de quando, não se, haverá crises futuras

Embora a pandemia COVID-19 seja uma ameaça aguda e extraordinária, certamente não é a última crise que qualquer empresa enfrentará. Se a mudança climática continuar inabalável, podemos ver crises em aceleração causadas por eventos climáticos extremos, secas levando à escassez de alimentos e água e muito mais.

O período de recuperação pós-vírus pode ser de ressurgimento econômico, investindo em resiliência. É encorajador que empresas com ações e ofertas de sustentabilidade mais fortes tenham superado seus concorrentes durante a crise atual. Isso implica que o mercado favorece as empresas que investem no sucesso de longo prazo, em soluções disruptivas e em inovações que estimulam o crescimento.

Emergindo da crise atual, os profissionais de energia e sustentabilidade têm uma oportunidade única de influenciar sua empresa a tomar ações proativas em favor da resiliência e preparação para as mudanças climáticas. Mas, além desse grupo, existe a oportunidade para os executivos de C-level considerarem o mesmo. Embora seja necessário, de várias maneiras, voltar ao normal o mais rápido possível, levando algum tempo enquanto já está em um período de recalibração para se preparar para uma recuperação resiliente e verde, favorecerá o sucesso de longo prazo e protegerá as empresas contra futuras crises.

Nossa equipe global na Schneider Electric Energy & Sustainability Services está pronta para aconselhar e liderar nossos clientes nesta época sem precedentes, com nosso compromisso inabalável de servir. Sabemos que enfrentamos essa ameaça juntos, que nos recuperaremos juntos e que, em última análise, juntos temos as chaves para mitigar as mudanças climáticas de uma vez por todas. Estamos honrados em servir a comunidade de energia e sustentabilidade neste momento e esperamos construir um futuro mais forte e unido. Visite nosso Perspectives Hub para participar da conversa ou entre em contato conosco para obter suporte.

 

Traduzido do original disponível em https://perspectives.se.com/blog-stream/recovery-to-resilience-how-energy-sustainability-professionals-can-prepare-for-the-turn

No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)