Eletrica

O que é DPS e como esse dispositivo ajuda na prevenção contra incêndio?

Se o foco do seu trabalho arquitetônico é principalmente em residências, sejam elas casas ou apartamentos, é fundamental entender mais sobre ferramentas de prevenção contra incêndio — como é o caso de saber o que é DPS e a sua importância na elaboração de um projeto funcional e seguro, além de esteticamente agradável.

Infelizmente, no início deste ano (2019) o Brasil vivenciou uma tragédia irreparável nos alojamentos do time de futebol carioca Flamengo. Suspeitam que a causa do incêndio que chocou o país tenha sido na parte elétrica de um ar-condicionado. Por isso, é tão urgente que ocorra a popularização de dispositivos de prevenção, bem como melhores práticas na hora de planejar os ambientes.

Ao continuar a leitura, você vai aprender mais sobre o que é DPS, como ele funciona e qual é a sua importância na prevenção contra incêndios. Vamos lá?

O que é DPS?

A sigla DPS é para Dispositivos de Proteção contra Surtos. Esses, por sua vez, são equipamentos que conseguem detectar sobretensões transitórias na rede elétrica. Ou seja, o aparelho desvia as correntes de surto que, infelizmente, são mais comuns do que muitas pessoas imaginam — atingindo eletrônicos e eletrodomésticos, principalmente.

É importante falar desse assunto no campo arquitetônico, pois essa é uma ferramenta mais conhecida apenas no setor elétrico. Profissionais da área, como eletricistas, engenheiros e até mesmo montadores de painéis, têm conhecimento sobre a prática de proteger, além de produtos domésticos, transformadores, luminárias urbanas, tubulações de companhias, linhas de telecomunicações, painéis de energia solar, quadros de distribuição de edificações etc.

Como são muitas as aplicações, existem três classes de DPS, voltadas para sobretensões em lugares específicos:

  • Classe I: dispositivos com capacidade para drenagem de correntes parciais de um raio, para áreas urbanas periféricas e rurais, que ficam expostas a descargas atmosféricas diretas;
  • Classe II: dispositivos que drenam correntes induzidas, em edificações, com efeitos indiretos de descarga atmosférica;
  • Classe III: dispositivos instalados próximos a equipamentos ligados à rede elétrica, de dados ou telefônica, para proteção fina.

Diante dessas três classificações, é possível perceber que todas elas são fundamentais para a segurança elétrica individual e coletiva. No caso de projetos de edificações, entretanto, vale focar mais no tipo III, que cuida de surtos mais simples, mas que podem se transformar em acidentes graves em comércios e residências.

O que é surto elétrico?

Além de explicar o que é DPS, também vale ressaltar o que é surto elétrico. O fenômeno que ocorre vem de uma onda transitória de tensão, ou seja, uma corrente ou potência que traz uma taxa de variação elevada, em um curto período de tempo. Quando ele acontece e se propaga ao longo de um sistema elétrico, gera sérios danos aos equipamentos e pode causar algo muito pior, como um incêndio.

Um surto elétrico, normalmente, surge de descargas atmosféricas — raios —, de manobras de rede ou, então, da alternância entre “liga” e “desliga” de máquinas. No caso das manobras, trata-se de blecautes ou simples desligamentos e religamentos na distribuição de energia de um bairro, por exemplo. Contudo, em relação às máquinas, estamos falando tanto de grandes motores quanto de simples aparelhos de ar-condicionado, elevadores ou máquinas de lavar.

Como um DPS funciona?

Para proteger a rede elétrica e os demais equipamentos antes citados dos surtos, os dispositivos atuam com um desvio da descarga para o sistema de aterramento. O processo é rápido — ocorre em apenas uma fração de segundo — e, por isso, o disjuntor nem detecta a fuga da corrente.

Para exemplificar ainda melhor o funcionamento de um DPS, o que ocorre é uma espécie de fechamento de curto entre fase e terra, sem que isso seja prejudicial à instalação elétrica. Entretanto, assim como quase tudo na vida, esse dispositivo também tem vida útil, sendo necessária sua substituição depois de um tempo de uso.

Para que a proteção continue a acontecer, então, é preciso, além de seguir a Norma Regulamentadora 5410 (para evitar a queima do próprio DPS), contar com a ajuda de disjuntores, chamados de dispositivos de desconexão. Assim, se a proteção contra surtos falhar, o disjuntor será desarmado, impedindo a fuga da corrente.

Onde instalar um DPS?

Na hora de planejar seus projetos arquitetônicos, considerando toda a parte elétrica, é fundamental saber exatamente onde instalar o DPS e o dispositivo de desconexão — ou seja, o disjuntor. O ideal, então, é colocar o DPS antes do disjuntor geral, para que seja assegurada a continuidade do serviço: mesmo com a falha do primeiro, o segundo continua a funcionar.

Contudo, também é possível instalar o DPS depois do disjuntor geral, de forma que, nessa posição, a falha do primeiro desative o segundo e ocasione a interrupção da alimentação do circuito — que ficará desligado até o dispositivo de proteção contra surtos ser substituído corretamente.

Qual é a importância do DPS na prevenção contra incêndios?

Por mais que seja um assunto mais técnico para engenheiros e eletricistas, deu para observar claramente a real importância de um DPS em um projeto arquitetônico, não é mesmo? Essa medida de segurança poupa não só a edificação de surtos elétricos, como prolonga a vida útil de todos os equipamentos eletroeletrônicos e eletrodomésticos que estejam conectados à rede elétrica.

Nunca dá para saber quando estaremos expostos a situações como a queda de um raio, piques de energia simples ou um blecaute geral. Para evitar prejuízos que ultrapassam os materiais, como no caso de um incêndio com vítimas, é essencial contar com estratégias preventivas, como o uso do DPS.

A instalação desse tipo de equipamento não é um diferencial no projeto, mas uma necessidade básica para prevenir desastres maiores como, infelizmente, ainda vemos ocorrer em vários lugares. A NBR 5410, nesse sentido, já assegura que todas as instalações elétricas devam ter o DPS instalado. Portanto, nunca negligencie este “detalhe” em seus projetos. Combinado?

Depois de entender o que é DPS e como ele age na proteção contra surtos elétricos e incêndios, você não acha que mais pessoas deveriam ter esse conhecimento? Compartilhe este post nas suas redes sociais e propague a informação!


5 Responses
  1. Jurandi Pereira correia

    Muito boa matéria,o DPS e um equipamento indispensável em qualquer instalação elétrica seja grande ou pequena,eu recomendo e instalo em todo projeto elétrico que executo, obrigado

    Responder
  2. José Carlos Benedito

    Sou eletricista e ja trabalho na área e também gosto de instalar os DPS nos quadros de distribuição muito bom este explicativo gostei muito valeu.

    Responder
  3. Abner Monteiro

    Muito importante essa matéria sobre os Dps’s, pois presenciamos nos noticiários casos de incêndios em diversos locais residenciais ,comerciais etc…. . Por tanto é de extrema importância levar ao conhecimento do público a necessidade desse produto pra garantir mais segurança nas instalações elétricas.

    Responder

Leave a Reply

  • (will not be published)