EcoStruxure

Quarta Revolução e Tecnologias do Presente

No passado a humanidade lutava contra guerras, fome e pela erradicação de doenças. No século XVIII a expectativa de vida média era de 40 anos e no século XIX de 59 anos. Se alguém não morresse em virtude de alguma doença terrível havia uma grande chance de uma guerra eclodir a qualquer momento contribuindo com a alta taxa de mortalidade. Estima-se que no Século XIX só na Europa a Varíola tenha matado mais de 40 milhões de pessoas e as duas Grandes Guerras somadas levaram mais 80 milhões de vidas. Na mesma época na Europa mais alguns milhões de pessoas morreram por consequências da fome, sejam elas fruto de escassez causada pelas guerras ou por fatores climáticos.

No século XX tivemos avanços incríveis no controle de doenças e de pragas. Hoje doenças como a Varíola são consideradas erradicadas após desenvolvimento de vacinas eficazes e a fome de milhões de pessoas é em virtude de má distribuição de renda e corrupção e não mais consequência de fatores climáticos nem guerras.

A agenda do ser humano no século XXI mudou e nossos problemas atualmente são outros. Hoje morrem mais pessoas por suicídio do que em todas as guerras somadas e morrem mais pessoas de obesidade do que de fome. Com o controle de doenças, da fome e das guerras, passamos a nos preocupar com nosso bem-estar e com sustentabilidade. A expectativa de vida média subiu para 74 anos de idade. Passamos também a nos preocupar com o bem-estar dos animais. Vivemos em uma era de abundância de recursos sem precedentes e sabemos que para manter o ritmo de crescimento acelerado (vide figura abaixo com a evolução do PIB per capita), precisamos desenvolver uma cultura de sustentabilidade, caso contrário extinguiremos os recursos disponíveis.

Evolução do PIB mundial ao longo dos períodos de revolução industrial

Estima-se que até 2050 a população mundial crescerá 21%, chegando a 9,2 bilhões de pessoas e que ainda nesse século nossa expectativa de vida média ultrapassará os 90 anos. Fica a pergunta de como conseguiremos chegar lá garantindo o nosso bem-estar e a sustentabilidade dos recursos, mas felizmente o ser humano tem uma capacidade de colaboração coletiva e de realizar avanços tecnológicos incríveis e, tudo indica, encontraremos um caminho.

A indústria tem um papel altamente relevante nesses avanços e impactos e atualmente, à beira da quarta revolução industrial, as instituições que se posicionarem de forma a trazer soluções que garantam crescimento sustentável terão maiores chances de prosperar. Empresas de capital aberto já tem valor de mercado atrelado ao seu impacto ambiental e social.

Usar tecnologia para tornar a produção mais eficiente não é mais uma opção para se conseguir vantagem competitiva, mas sim uma necessidade de sobrevivência.

Exemplos de aplicação de tecnologias da nova era de evolução industrial:

Voltando a atenção para o presente, vamos falar um pouco sobre aplicação de tecnologias emergentes e quais valores elas trazem. Hoje, a disponibilidade e combinação de IoT, Computação em Nuvem, Machine Learning, entre outras tecnologias, traz novas possibilidades que a 5 anos atrás era inimaginável.

Imagine se um equipamento crítico como um grande gerador de energia para uma cidade de 400mil habitantes ou um forno de cimento responsável pela produção diária de milhões de reais pudesse informar previamente até quando ele pode ser operado sem parada para manutenção ou então se esse equipamento pudesse informar que algo saiu do controle e que se eu não parar para manutenção dentro de 2 meses, possivelmente o equipamento pode ter uma falha catastrótica? É dessa maneira, através da combinação de Internet das Coisas (IoT) com Machine Learning que o Avantis PRiSM realiza Manutenção Preditiva de ativos.

Manutenção Preditiva com Avantis PRiSM

No exemplo acima, o PRiSM identificou muito antes do sistema tradicional de proteção de uma turbina de 110MW (energia suficiente para alimentar a cidade de Ribeirão Preto) alguns pequenos danos nas pás da turbina, permitindo que se programasse a manutenção, evitando uma falha destrutiva e parada de produção, prevenindo um prejuízo de US$ 4.1 milhões.

Outro exemplo de tecnologia aplicada é o treinamento de operadores através de Realidade Virtual. Imagine poder treinar um operador recém contratado a trabalhar em um ambiente de alto risco, porém com a segurança de um ambiente virtual e indo além nas possibilidades, capacitar esse operador para tomar decisões em emergências, por exemplo, simulando um incêndio em determinada área industrial. Esse é papel do SimSci EYESIM, software de Realidade Virtual.

Realidade Virtual para Problemas Reais

Uma terceira aplicação dessas novas tecnologias é o monitoramento e controle remoto, associando Internet das Coisas (IoT) com Computação em Nuvem, permitindo monitorar (e até mesmo operar caso desejado) remotamente diferentes fábricas (veja link do Demo do InduSoft Web Studio rodando no Cloud Wonderware Online) ou então analisar histórico e calcular performance de linhas de produção em diversas plantas pelo mundo (veja link do Demo do Aveva Insight Online).

Aveva Insight Online – Solução em nuvem para coleta, armazenamento e análise de dados de processo e performance

E no agronegócio, que tal monitorar a umidade do solo, cruzar com as informações de custo de energia em determinado período do dia e com informações meteorológicas de tal forma a reduzir o consumo de energia e de água na irrigação? Esse é o papel do SCADAFarm, aplicação de monitoramento e controle remoto de irrigação.

SCADAFarm – Monitoramento de umidade do solo, clima e controle inteligente de irrigação

As tecnologias estão disponíveis e hoje o conhecimento na combinação delas para proporcionar soluções reais está acelerando a produtividade e a geração de valor.

Caso queira conhecer mais sobre como a Schneider Electric pode ajudar a solucionar seu desafio, cadastre seu email no link abaixo e entraremos em contato:

https://goo.gl/forms/17Bi5hiRGJ5WNJAf2

 


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)