Data CenterEdge Computing

A monitorização remota e deslocação de serviços para Edge Computing tornam-se digitais

Os serviços de monitorização remota para dispositivos de infraestruturas de Edge Computing já existem há anos.

Certamente já pagou ao seu fornecedor de UPS para detetar, à distância, falhas nos autotestes de baterias e outras avarias.

Um equipamento com falhas enviaria uma notificação ao membro da equipa de apoio técnico, podendo este ter saído à noite com os seus amigos numa sexta-feira.

Hoje em dia dá-se, certamente, grande valor a ter alguém atento aos equipamentos que alimentam e arrefecem os seus equipamentos de TI críticos.

Afinal, poderá não ter a capacidade de o fazer por si mesmo… pelo menos, não tão bem quanto gostaria. Porém, estes serviços tradicionais não eram tão eficazes e ágeis como poderiam ter sido.

Os novos serviços digitais 

Surgiram novos serviços digitais que são muito mais proativos e que respondem mais rapidamente a incidentes críticos e à execução de atividades de manutenção.

Imagine um representante técnico do fornecedor a visitar uma das suas instalações para reparar um problema que ainda nem sequer sabia que tinha!

As ferramentas de gestão de nova geração tiram partido das tecnologias mais recentes, tais como Cloud Computing, análise de dados, inteligência artificial e comunicações móveis.

Em comparação com a abordagem tradicional, baseada em licenças e que exigia a instalação de um servidor de terceiros em cada local, as ferramentas de gestão de nova geração oferecem uma implementação e manutenção altamente simplificadas das ferramentas, bem como a gestão da infraestrutura física.

Isto é especialmente valioso quando se gere várias instalações de Edge Computing com ativos amplamente dispersos. Estes novos serviços de monitorização remota digital foram desenvolvidos com base nesta nova plataforma de gestão e partilham as suas vantagens.

Na Schneider Electric, denominamos esta plataforma de EcoStruxure IT. Então, o que significa o facto de os serviços de monitorização remota serem “digitais” e como é que os aderentes beneficiam?

Enfrentar os desafios da gestão de instalações de Edge Computing

Os principais desafios para os gestores de instalações de Edge Computing são a falta de pessoal no local e a natureza geograficamente dispersa dos ativos.

É difícil estar sempre a par de onde os equipamentos se encontram e do seu estado de funcionamento, particularmente com ferramentas de monitorização tradicionais mais antigas. A manutenção pode ser assustadora e cara.

Muitas pessoas optam por recorrer a prestadores de gestão de serviços (MSP) e outros fornecedores externos para efetuar a monitorização e manutenção dos seus equipamentos, por ser mais económico.

As novas plataformas de monitorização baseadas na cloud que suportam tecnologias móveis e eletrónicas, tal como a plataforma EcoStruxure IT, tornam este processo mais simples.

Estas disponibilizam uma plataforma segura para que terceiros de confiança possam monitorizar à distância, de modo a que o cliente e o seu parceiro tenham acesso aos mesmos dados, ao mesmo tempo, em todas as instalações.

A arquitetura baseada na cloud também proporciona um meio pelo qual, os serviços de análise de dados e inteligência artificial podem ser prestados, para tornar a monitorização muito mais proativa e até preditiva.

Tudo isto é necessário quando se pretende  gerir várias instalações automatizadas de Edge Computing.

Monitorização remota digital e a deslocação de serviços onsite

A monitorização remota digital e a deslocação de serviços onsite estão a emergir desta mesma plataforma para simplificar e reduzir ainda mais o custo da gestão de ativos distribuídos.

Com estes serviços, o fornecedor monitoriza o parque instalado de UPS, por exemplo, através da cloud e em tempo real.

Este “centro de manutenção” de especialistas está diretamente associado aos centros locais de serviços onsite. Quando o centro de manutenção do fornecedor deteta um alarme crítico em tempo real, pode dar início à deslocação imediata de um técnico com a peça correta e sem necessidade de qualquer ação por parte do dono das instalações.

Isto pode poupar tempo e dinheiro em situações críticas, para além de potencialmente evitar o grave custo que possa advir do tempo de inatividade.

Caso questione a sua capacidade de monitorizar e controlar todos os seus ativos distribuídos, talvez esteja na hora de considerar o serviço de deslocação e monitorização remota digital.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)