Data Center

“Services on the Edge” – Obter paz de espírito é fácil

Tem-se falado muito no mercado sobre a definição de Edge Computing, Internet das Coisas (IoT) e explicado como o edge se enquadra no processamento entre um ponto e outro, para reduzir a latência.

Partindo do princípio que já se sabe grande parte disto (caso não saiba, consulte este blog informativo sobre a relação entre o edge e a IoT), iremos analisar as expectativas de manutenção em Edge.

Por que a escalabilidade de serviços para ambientes de Edge Computing faz sentido

Dado que os ambientes Edge podem ter menos equipamentos, mas um volume maior, é fundamental que os serviços sejam devidamente escalonados.

Os serviços para uma única UPS não devem custar o mesmo que os serviços prestados em sistemas com centenas de UPSs, dado que a digitalização deveria possibilitar a escalabilidade. Os seus sistemas edge são únicos e os serviços que os protegem também.

Uma vez que o edge consiste, essencialmente no processamento de dados a nível local, mais perto das fontes, estamos a aperceber-nos que os nossos clientes estão a desenvolver e a distribuir infraestruturas de TI mais críticas nas suas empresas.

À medida que estas aplicações críticas são implementadas em ambientes de retalho, cuidados de saúde, bancários e industriais, bem como noutros mercados, os nossos clientes estão a ficar cada vez mais preocupados com os serviços prestados nestes locais distribuídos.

Estes sistemas poderão ser mais pequenos do que os data centers tradicionais de média e grande dimensão, mas são tão críticos como estes últimos.

O tempo de inatividade pode significar perda de receitas, tal como acontece quando um grande data center tem problemas. O principal desafio em ambientes edge é que, por norma, não existem profissionais qualificados por perto para resolver situações críticas.

Não é viável (do ponto de vista económico) ter pessoal informático ou técnico a tempo inteiro em todos os locais.

Com a estratégia de serviços certa, para além da monitorização em tempo real, análise preditiva e alertas, este problema pode ser evitado.

Escolher a estratégia certa dos serviços prestados pelos Data Centers

Vamos começar por apresentar alguns serviços básicos que o podem manter disponível em edge:

  • Monitorização e Análise Preditiva: Aumente a resiliência e a transparência com pessoal de manutenção equipado com monitorização dos dispositivos 24/7 e em tempo real, para uma maior e mais eficiente resolução de problemas e deslocações rápidas. As análises baseadas em dados podem, proativamente, sinalizar eventuais falhas, aumentando exponencialmente a capacidade de efetuar a manutenção de equipamentos críticos antes de as falhas ocorrerem.
  • Gestão de Parque Instalado: Efetuado através de monitorização remota e análise preditiva, este serviço presencial é personalizado e proporciona uma experiência técnica de excelência, para se obter uma solução para toda a empresa, reduzindo as interrupções de atividade e planeando eficazmente a gestão do ciclo de vida de infraestruturas críticas.
  • Planos de Manutenção: Os pacotes de manutenção abrangente permitem-lhe conceber a cobertura que necessita para operar as suas soluções de forma eficiente e gerir custos. Os planos de manutenção podem ser flexíveis de modo a incluir visitas frequentes de manutenção preventiva, cobertura no local, bem como acesso a peças de substituição.

Com a relação e planeamento corretos com o seu prestador de serviços, estes devem ser padronizados com uma abordagem personalizada às suas necessidades. Na Schneider Electric acreditamos que obter paz de espírito deve ser fácil, não uma dor de cabeça quando se trata do seu ambiente edge.

Consulte aqui mais informações sobre os nossos serviços de monitorização e preditivos mais recentes.

Para mais informações sobre soluções Edge, consulte aqui. O que pensa disto? Esteja à vontade para comentar abaixo. Também poderá contactar o seu representante comercial Schneider Electric para saber mais.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)