Data Center

Resiliência na Edge: histórias de sucesso

Originalmente postado em Datacenter Dynamics
Data Analytics e AI podem trazer à mente nomes como Amazon, Azure e Google, mas, cada vez mais, as empresas estão se tornando seus próprios agregadores de Big Data e estão aumentando o investimento para permitir o processamento desses dados internamente.
A nuvem oferece custos sedutoramente baixos e recursos elásticos sob demanda – no entanto, quando é necessária uma transferência de dados pesada e constante, ela pode ter um custo cada vez maior e depende do desempenho um tanto variável da internet. As empresas confiam em Edge Computing para aumentar o desempenho da rede e reduzir a latência, resultando em velocidades mais altas para os usuários finais.
Três implementações recentes de Edge Computing da APC by Schneider Electric da Austrália mostram como a Edge Computing pode ser construída internamente, combinando-se com uma arquitetura de TI híbrida para satisfazer suas necessidades de carga de trabalho e dados de aplicações.
Missão Crítica, mas não Missão Impossível
A polícia de Nova Gales do Sul (do inglês NSW), estado australiano, é encarregada de servir e proteger 7,8 milhões de pessoas em todo o estado, com mais de 430 delegacias e 20.000 funcionários operacionais e administrativos. Ao contrário de muitas organizações, seu principal meio de comunicação com os policiais na estrada é por rádio. A polícia de NSW transmite incríveis 2,1 milhões de pedidos de assistência todos os anos.
Mas, há algum tempo, a instituição reconheceu que sua infraestrutura de rádio mal havia evoluído, apesar da crescente demanda e da natureza de missão crítica da rede. Era hora de uma grande reforma. Com isso, a polícia de NSW resolveu reconstruir seu data center de comunicação enquanto continuava a utilizá-lo, a fim de oferecer uma transição ininterrupta para uma nova infraestrutura de rede de rádio.
Depois de uma licitação, a APC by Schneider Electric e a Dell EMC foram escolhidas para trabalhar em parceria para fornecer um ambiente Turnkey Edge Computing para a polícia de NSW. A instalação funcionou em tempo integral durante a construção, que foi concluída dentro do prazo e abaixo do orçamento.
Construindo redes para a era de IoT
Nos bastidores, edifícios comerciais estão cheios de sensores, coletando informações sobre o ambiente e fazendo ajustes automaticamente. Mas com a inovação vem a complexidade; como qualquer espaço de tecnologia em evolução, os fabricantes de equipamentos têm ideias diferentes sobre a melhor maneira de implementar comunicação, relatórios e gerenciamento. Os edifícios geralmente acabam com várias interfaces de sistemas prediais diferentes, cabeamento duplicado, protocolos incompatíveis e nenhum sistema de relatório de visão única.
O Tuggeranong Office Park, em Camberra, na Austrália, queria adotar uma abordagem coerente para a automação predial; desejava todos os seus sistemas em uma plataforma de comunicação única e segura, usando padrões abertos de melhores práticas, sempre que possível. Tão importante quanto isso, o edifício também queria estar pronto para a proliferação de dispositivos da Internet das Coisas que seus locatários usarão nos próximos anos.
Seu parceiro de implementação, a Airmaster, recomendou o padrão TCP/IP e Ethernet para a nova Building Services Network em todo o prédio. “Isso permitiu a redução ou a eliminação da necessidade de vários sistemas de distribuição de cabeamento, redes paralelas e equipamentos de edge adicionais”, diz Rob Huntington, gerente de filial da Airmaster (ACT).
A APC by Schneider Electric apoiou a construção de uma rede estável, à prova de falhas e resiliente, fornecendo uma solução de Edge Computing para maximizar a disponibilidade e reduzir a área de cobertura do hardware em todo o edifício.
Imagem espelhada na Tasman
Quando a multinacional farmacêutica Boehringer Ingelheim decidiu que era hora de consolidar três escritórios australianos em um, também decidiu atualizar sua sala de servidores. A APC by Schneider Electric trabalhou para ajudar a Boehringer Ingelheim a projetar um micro data center de ponta com redundância dupla entre os sistemas UPS e sistemas de resfriamento, devido à importância da continuidade dos negócios.
A implantação de Edge Computing incluiu racks de servidores, unidades de distribuição de energia (RM PDU), fontes de alimentação ininterruptas (UPSs) e InRow Cooling, mas também permitiu que a área ocupada pela antiga sala de servidores fosse significativamente reduzida – de cinco racks para dois. A Boehringer Ingelheim ficou tão impressionada que pediu à APC by Schneider Electric para replicar o data center em seus escritórios na Nova Zelândia.
“O que mais me impressionou foi o conhecimento técnico da equipe de engenharia. Eles nos forneceram a solução certa e tornaram todo o projeto sem problemas”, conta o gerente de infraestrutura local da Boehringer Ingelheim na Austrália, Jason McDonald.

No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)