Arquitetura

Saiba como agregar valor aos projetos arquitetônicos

Todo arquiteto quer ter destaque no concorrido mercado. Felizmente, há várias ações que contribuem para o alcance desse objetivo. Uma das mais relevantes é saber agregar valor a cada projeto arquitetônico.

Mas você sabe o que significa isso? Consiste em, basicamente, entregar uma experiência melhor e mais completa que a da concorrência pelo mesmo produto/serviço. A solução traz benefícios tanto para o profissional — que conquista credibilidade — quanto para os clientes — que se sentem mais satisfeitos e realizados.

Sendo assim, que tal descobrir como conquistar esse diferencial para sua carreira? Acompanhe o nosso artigo com a contribuição da arquiteta Mara Ramos e saiba por onde começar!

Ofereça algo a mais para o cliente

O trabalho do arquiteto é uma jornada que começa devagar, com uma etapa na qual o profissional praticamente brinca de ser psicólogo. Isso porque, antes de qualquer coisa, é importante entender o cliente, sua personalidade e o que ele gosta.

Esse conhecimento básico faz toda a diferença, afinal, o espaço a ser trabalhado é de outra pessoa, não do arquiteto. Assim, independentemente do estilo do profissional e da estética com que costuma trabalhar, é fundamental considerar as preferências e necessidades do cliente.

Acontece que, muitas vezes, as pessoas não sabem o que querem ou não conseguem expressar seus desejos ao arquiteto. É por esse motivo que um projeto costuma ser dividido em três etapas: o sonho (desenvolvimento), a organização (planejamento) e a obra (materialização).

Quem trabalha com arquitetura gera valor ao cumprir todas essas etapas com profissionalismo e total interesse em garantir que o sonho do cliente se torne realidade. Para isso, nada melhor que orientar as pessoas e auxiliar em suas decisões, sempre buscando o melhor resultado.

Descubra o que faz o cliente feliz

Quem não deseja ver um projeto tomando forma com todos os detalhes solicitados? A sensação é muito gratificante e deixa qualquer pessoa feliz. Sendo assim, procure avaliar as vivências do cliente para descobrir quais experiências, sentimentos e lugares são valorizados por ele.

Para levantar essas informações, agende um encontro e converse sem pressa. Pergunte sobre a relação da pessoa com sua família, identifique seus hobbies favoritos, observe se há apego por algum ambiente ou item específico da casa (móvel, objeto de decoração etc.).

A proposta é conversar sobre a vida e coisas que façam o dia a dia da pessoa fazer sentido. Você também pode entregar um questionário para obter dados mais básicos sobre os hábitos do cliente, seus principais medos, suas prioridades, além de objetivos de curto e longo prazo.

Demonstrar interesse do início ao fim é uma excelente forma de agregar valor ao projeto. Primeiro porque você consegue captar o máximo de detalhes que precisa para desenvolver um trabalho personalizado. Além disso, se aproxima do cliente e ganha sua confiança.

Proporcione uma boa experiência

Criar projetos exclusivos e adequados ao perfil de diferentes clientes são desafios com os quais o arquiteto precisa lidar. O esforço para adaptar o estilo e o layout dos ambientes à rotina do usuário compensa, afinal, é no espaço construído que as pessoas permanecem boa parte do tempo.

Proporcionar uma boa experiência consiste em entregar o que o cliente pede com o mínimo de problemas. Afinal de contas, é impossível ficar insatisfeito com o acompanhamento de um arquiteto dedicado e capaz de desenvolver um lugar que tenha a cara dos donos.

Projetos de qualidade mostram que os desejos do cliente foram respeitados. Isso se reflete na alma do espaço, que passa a transmitir um pouco dos gostos e da personalidade de quem o habita. O bom resultado também atesta a competência do profissional responsável — e isso ninguém pode tirar de você!

Quando as coisas ficam prontas, o cliente finalmente consegue ter noção do todo. É nesse momento que ele percebe o valor de cada cuidado tomado pelo arquiteto. Afinal, mesmo com o apoio de esboços e representações em 3D, o entendimento só tende a aparecer após a finalização.

Invista em materiais de qualidade

Bons recursos e soluções inteligentes também acompanham um projeto diferenciado. Logo, outra maneira de agregar valor a seus trabalhos é contar com produtos e materiais de alta qualidade. Isso não é possível se você não tiver contato com fornecedores idôneos e reconhecidos no mercado.

Procure fazer parceria com profissionais e empresas que cumpram o contrato e que não geram dor de cabeça. Dessa forma, o investimento será aproveitado como o esperado e seu cliente ficará livre da temida frustração com prazos estourados, entregas incompletas ou falta de comunicação.

Cabe ao arquiteto mostrar que materiais de qualidade têm um valor específico, mas isso não representa prejuízos a quem custeia. Afinal de contas, as vantagens obtidas com boas escolhas são muitas: melhor custo-benefício, peças resistentes e duráveis, acabamento impecável etc.

Incluir revestimentos com texturas, por exemplo, pode fazer toda a diferença na composição. Uma parede de tijolos, um piso de cimento queimado, um móvel de madeira de demolição… Todas essas soluções exigem a seleção correta de materiais e combinações de cores e estampas.

Uma forma fácil de descobrir o que o cliente gosta é pedir que ele apresente imagens de matérias-primas ou produtos específicos (cerâmica, pastilha, ladrilho). Assim, o arquiteto consegue chegar a um visual bem próximo do esperado e agradar com o resultado.

Use a criatividade para inovar

Um bom profissional precisa se manter atualizado para oferecer o melhor e não correr o risco de compor ambientes que pareçam padronizados. Hoje, mesmo com todo o acesso à informação, muitas pessoas acreditam que os arquitetos reproduzem projetos iguais em lugares diferentes.

Isso é um problema, visto que a proposta de um trabalho de qualidade é considerar as individualidades dos clientes para montar espaços exclusivos e personalizados. Para tanto, vale explorar o que as pessoas já têm em casa a fim de preservar a atmosfera dos ambientes.

Usando a criatividade, você consegue adotar vários recursos para aproximar o cliente do projeto e, inclusive, fazer com que ele se identifique com a proposta. Materiais afetivos, como quadros ou fotos da família, podem ser incluídos na decoração para que tudo fique mais agradável à primeira vista.

Explicar processos e simular ambientes montados também contribui para deixar o cliente mais tranquilo em relação ao que será desenvolvido. Se achar necessário, o arquiteto pode até passar um pouco de informação técnica para manter a pessoa confortável e segura sobre suas escolhas.

Acompanhe tudo

Pessoas leigas nem sempre têm noção do tempo necessário para planejar e executar um projeto, seja uma pequena reforma, seja uma grande construção. Logo, é normal que muitos clientes se sintam ansiosos e até angustiados no início do processo.

Considerando que esses sentimentos são amenizados quando o arquiteto se faz presente e procura acompanhar cada fase, é válido esclarecer alguns pontos críticos, como a questão dos prazos e verbas.

Com relação aos prazos, é importante que o cliente saiba que o tempo médio de um projeto é de 2 a 3 meses — pode ser menor dependendo do nível de complexidade e da evolução das fases. Sobre a verba, é interessante estabelecer um limite de gastos para não estourar o orçamento.

Resumindo, o cliente deve estar ciente que equilíbrio e paciência serão fundamentais para o sucesso do projeto. Assim, é papel do arquiteto sanar dúvidas relacionadas às etapas envolvidas, planejar os trabalhos e acompanhar a obra para garantir resultados satisfatórios.

Essas ações aplicadas em conjunto trarão consequências positivas para sua carreira. Ao agregar valor a cada projeto arquitetônico, você terá o básico para se destacar no mercado, conquistar novos clientes e fortalecer as relações com aqueles que já conhecem seu trabalho.

Conhece outra medida capaz de fortalecer o nome de um arquiteto? Deixe um comentário e divida sua opinião conosco!


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)