Arquitetura

Estilos de Decoração

A decoração é, para muitos, uma forma de dar personalidade aos ambientes. Assim, tem a tarefa de torná-los mais aconchegantes, modernos, rústicos, cheios de cores e de vida ou clássicos. Tudo depende de qual é o estado de espírito de quem planeja as mudanças no local e de como quer imprimir essas sensações nas paredes, no chão ou nos móveis e objetos que darão um toque diferencial ao imóvel.

É nesse ponto que entram os mais diferentes estilos de decoração e que, ao longo dos anos, vão ganhando novas formas de serem expressos, de acordo com as tendências apontadas em cada fase. Inspirações, no Brasil e no mundo, não faltam para que você imprima o seu próprio jeito na atuação do design de interiores.

Neste artigo, vamos pontuar quais são os principais estilos para que você possa recordar os conceitos e adequá-los à sua atividade, dando aos seus projetos características únicas, capazes de marcar o seu trabalho. Confira!

Estilo clássico

O visual clean, as cores neutras e quase sempre claras, com prioridade para o branco, e os móveis com estrutura torneada são características marcantes desse estilo de decoração, que prima pela sofisticação. Normalmente, a mobília utilizada nos ambientes tem ares de exclusividade, podendo ser feita sob medida, com aposta em madeiras mais escuras.

Nas cortinas, por exemplo, os tecidos finos ganham lugar, podendo utilizar tons de bege, branco, dourado ou cinza. Os pontos de cor e de luz, que servem para chamar a atenção e dar mais vida aos ambientes, costumam estar destacados nos objetos de decoração.

Estilo moderno ou contemporâneo

Linhas geométricas bem definidas, uso de vidros e de materiais mais modernos, móveis com design diferenciado, com cores diferentes e traços únicos podem ser considerados algumas das marcas do estilo contemporâneo. Nele, a aplicação de materiais inusitados nas paredes, nos revestimentos ou, até mesmo, na mobília, dão ares de modernidade aos cômodos.

Aqui, as cores também costumam ser mais neutras para que os móveis e objetos de decoração ganhem destaque. Nas composições no estilo moderno, se uma parede tem um tom mais forte, normalmente o restante virá em cores neutras e vice-versa. Mas a leveza está presente sempre.

Estilo industrial

Essa é uma das fortes tendências do mercado de decoração, que vem sendo mais amplamente difundida nos últimos anos. Estruturas metálicas aparentes, luminária suspensas e o uso das cores cinza e preto nas paredes marcam o estilo industrial, que pode estar presente tanto em áreas residenciais quanto em ambientes corporativos ou comerciais.

É dai, por exemplo, que vêm os eletrodomésticos em aço inox, que dominaram as cozinhas brasileiras recentemente. Tudo começou com o uso de galpões antigos transformados em modernos lofts nova-iorquinos, integrando os ambientes sem tirar as características do imóvel. Por isso, os espaços mais rudimentares e amplos estão presentes nesse estilo, mantendo estruturas expostas aliadas à elegância e simplicidade.

Estilo minimalista

Essa é mais uma das tendências de decoração previstas para o ano de 2019, sendo capaz de agradar a quase todas as pessoas, já que utiliza poucos objetos na composição do ambiente, evidenciando que “menos é mais”. Funcionalidade é a palavra de ordem no estilo minimalista, primando pelo uso de objetos e móveis estritamente necessários nos espaços.

Mais uma vez, aqui, é priorizado o uso de tons neutros, como bege, branco e cinza, que podem ser complementados com cores em sofás, poltronas ou outros objetos. A iluminação natural é outro ponto forte do minimalismo, o que satisfaz, também, àqueles que optam por um estilo mais sustentável.

Estilo rústico

Aquele aconchego proporcionado em ambientes rurais, como sítios e fazendas, e que normalmente remetem a momentos na infância, é o que marca o estilo rústico. Nesse tipo de decoração, objetos antigos ou que sejam confeccionados utilizando design com ar vintage são muito bem-vindos e dão graça aos espaços.

Aqui também vale apostar no revestimento de uma ou mais paredes com tijolos aparentes. Se esse estilo estiver presente na cozinha, ainda dá para apostar em armários mais trabalhados, em madeira maciça, e na decoração com os utensílios à vista.

As cores, como você pode imaginar, têm referência em elementos naturais, como o marrom, o verde e as estampas florais ou o uso de renda nas cortinas, remetendo a um ar campestre. O piso em cimento queimado combina bem com o estilo rústico e tem sido muito usado nos últimos anos.

Estilo escandinavo

A origem desse estilo está em países que ficam ao norte da Europa, como Suécia, Noruega, Finlândia e Dinamarca. A razão do sucesso do estilo escandinavo está na capacidade de transformar o imóvel em um lugar aconchegante e agradável, com o uso de cores claras e tons pastel.

Nele, a suavidade é o carro-chefe, tornando os espaços mais acolhedores — é ideal para as pessoas que gostam de passar bastante tempo em casa. O estilo escandinavo mistura um pouco o contemporâneo com o clássico, usando móveis e objetos modernos, com um toque de sofisticação e simplicidade.

Estilo tropical

É o oposto do que mencionamos no tópico anterior, pois prima pela valorização da alegria e das cores vibrantes, como verde, amarelo, rosa e vermelho, que ajudam a “esquentar” os ambientes. Ao fazer um projeto nesse estilo, é preciso ter muito cuidado ao captar os desejos dos donos do imóvel para não deixá-lo extravagante ou pesado demais.

Assim, o ideal é escolher três ou quatro tons de cores e trabalhá-los nos ambientes, intercalando com elementos mais neutros. É, certamente, um dos mais despojados entre os estilos de decoração que mencionamos até aqui e atende aos clientes com personalidade forte e alegre.

Nele, os móveis (como sofás e poltronas) e os objetos (como almofadas, vasos, entre outros) podem ter estampas coloridas com motivos florais, de frutas ou de folhas e animais. Também vale dar vida aos ambientes usando plantas em diferentes pontos.

Deu para perceber que há vários estilos de decoração que vão atender aos gostos dos clientes, de acordo com as suas características e desejos. É possível fazer uma mescla entre alguns deles, imprimindo personalidade aos seus projetos.

Se você gostou de relembrar o assunto, que tal ler, também, nosso artigo sobre arquitetura sustentável? Vamos lá!


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)