Arquitetura

Como calcular o markup da sua empresa? Entenda agora

Um dos métodos mais conhecidos para precificar produtos e serviços, o markup traz benefícios para a gestão e garante uma negociação justa. Esses benefícios surgem porque os custos de produção e distribuição são acrescentados ao cálculo, assim como encargos e o lucro esperado.

Esse é o caminho para ter um bom rendimento na sua empresa. Assim, já fica definido o mínimo que pode ser cobrado — para oferecer desconto quando necessário — e qual seria o preço adequado do produto ou serviço.

Porém, mais que saber da existência desse método de precificação, é necessário compreender como calculá-lo. É o que vamos mostrar neste post. Acompanhe!

O que é markup?

O markup é um índice a ser multiplicado sobre o custo de produtos e serviços. Seu objetivo é encontrar o preço de venda mais adequado. Sua vantagem é a praticidade do cálculo, o que possibilita trabalhar com mais de um indicador por produto — tudo depende do lucro projetado.

Devido às suas características, o gestor tem uma visão mais aprofundada, que vai muito além da margem de lucro. Entre os aspectos passíveis de percepção por esse método estão:

  • definição de metas para ultrapassar o ponto de equilíbrio, aquele em que receitas e despesas são equivalentes;
  • identificação do momento mais adequado para reduzir os preços ou fazer promoções;
  • verificação dos custos mais significativos para o orçamento empresarial, com consequente estabelecimento de estratégias que visem a redução;
  • auxílio ao controle do estoque;
  • decisão de continuidade ou descontinuidade da venda de um produto ou serviço.

De que modo é usado para precificar produtos e serviços?

Muitos empresários acreditam que é preciso apenas acrescentar o lucro acima do custo do produto ou serviço. No entanto, essa análise é incompleta, porque desconsidera os gastos operacionais do negócio. É aí que entra o markup, método que acrescenta todas as despesas e custos fixos e variáveis, além de impostos e lucro esperado.

Por ser uma metodologia simples, é aplicável por qualquer empresa, independentemente de porte ou segmento de atuação. Ela também garante o cumprimento de todas as necessidades do negócio, devido ao número amplo de variáveis consideradas.

Como fazer o cálculo do markup?

Calcular o preço de produtos ou serviços por meio desse método exige a inclusão de três principais variáveis.

Despesas fixas

São gastos administrativos que asseguram a manutenção do negócio. Entre eles estão: aluguel do local, salário dos colaboradores da área administrativa, pagamento de contas de luz, água e telefone etc. Em suma, são os valores a serem pagos, qualquer que seja a produção do mês.

Despesas variáveis

São os gastos que variam de acordo com a produção e/ou vendas. Alguns exemplos são os impostos incidentes sobre cada produto, a comissão paga aos vendedores, entre outros. Desse modo, são os valores que aumentam de acordo com essas variáveis.

Margem de lucro presumida

É o percentual do preço de venda que deve ficar para sua empresa. O ideal é manter um equilíbrio, já que uma margem de lucro muito alta pode fazer o produto ou serviço encarecer a ponto de perder a competitividade no mercado.

Fazendo o cálculo

As três variáveis devem ser mensuradas em porcentagem. Por isso, nem sempre é fácil defini-las. O primeiro passo é saber quanto foi gasto para produzir ou comprar a mercadoria. Essa é a base do cálculo e também inclui matéria-prima e mão de obra, quando existirem. Caso esteja utilizando o método de precificação para serviços, considere a sua hora de trabalho ou a do colaborador.

Assim que tiver esse valor, chega o momento de definir os outros aspectos. Veja qual o percentual de:

  • despesas variáveis incidentes em cada unidade de produto ou serviço;
  • despesas fixas incidentes no mesmo período para cada item;
  • lucro esperado.

A fórmula utilizada é: markup = 100 ÷ 100 – (despesas variáveis + despesas fixas + margem de lucro pretendida). Nesse cálculo, “100” representa o preço unitário da venda em porcentagem.

Para ficar mais claro, apresentamos um exemplo. Imagine que o produto X tenha sido adquirido pela sua empresa por R$70. As despesas fixas incidentes equivalem a 15%, as variáveis representam 10% e a margem de lucro é de 30%.

Nesse caso, temos o seguinte cálculo: markup = 100 ÷ 100 – (15 + 10 + 30) = 100 ÷ 100 – 55 = 100 ÷ 45 = 2,2. Com esse resultado, faça a multiplicação pelo preço de custo do produto, ou seja, R$70. Assim, chegamos a R$154 (70 × 2,2).

Quer outro exemplo? Imagine que o custo de compra do produto tenha sido de R$30. As despesas fixas são de 12%, as variáveis de 15% e a margem de lucro de 20%. Assim, temos: markup = 100 ÷ 100 – (12 + 15 + 20) = 100 ÷ 100 – 47 = 100 ÷ 53 = 1,88 × 30 = R$56,60.

Entendeu como se faz? O único cuidado é que a margem de lucro nunca deve ultrapassar 100%.

Quais são os benefícios ao usar esse método?

O uso do markup é um método de negociação que traz diferentes vantagens. Esse é um dos motivos que fazem as empresas o adotarem. Entre os benefícios alcançados estão os que listamos abaixo.

Aumento da segurança nas negociações

O gestor consegue definir melhor o preço de venda, com base em variáveis relevantes e que facilitam a chegada a um valor justo para a sua empresa e para o cliente. Assim, todos ganham na negociação.

Definição de limites para descontos

A delimitação do preço adequado também indica o mínimo que pode ser cobrado. Com isso, fica mais fácil fazer promoções e oferecer descontos para um cliente fiel ou que vai comprar em maior quantidade.

Cobertura de custos fixos e variáveis

Um dos problemas dos métodos para precificar é deixar de considerar os custos fixos e variáveis. Além do valor despendido com a compra ou produção de produtos, também é preciso considerar outras variáveis, conforme demonstramos. Assim, você analisa todos os gastos existentes, em vez de focar em apenas alguns, situação que poderia trazer prejuízos em algumas negociações.

Garantia da margem de lucro estabelecida

Sua empresa precisa definir uma margem de lucro esperada. Ao considerar esse percentual ao mesmo tempo que considera somente o valor de compra do produto, tem seu rendimento corroído, porque ele precisa custear comissões e folha de pagamento dos colaboradores, por exemplo. Com o método que apresentamos, isso não acontece, porque todas as variáveis são inseridas no cálculo.

O resultado é ter uma precificação justa e eficiente. É isso que o markup oferece e o que justifica seu uso. Basta colocar essa ideia em prática e garantir negociações justas e seguras, que visam a maximização do lucro para o seu negócio.

Agora que você já sabe como precificar produtos e serviços, que tal aprender outra prática importante? Veja como fazer gestão de fornecedores para escritórios de arquitetura e saiba potencializar seu serviço!


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)