Acesso à Energia

Programa de Acesso à Energia da Schneider Electric

A iniciativa está sendo realizada no Brasil, em outros países da América do Sul e, além disso, na África, Oriente Médio e Sudeste Asiático

Para ampliar o acesso universal à eletricidade de forma moderna e sustentável, a Schneider Electric tem fortalecido seu programa de Acesso à Energia. A empresa espera, até 2025, capacitar mais de 1 milhão de pessoas economicamente e socialmente vulneráveis na área da energia. Além disso, apoiar 10 mil empreendedores de baixa renda que atuem neste segmento e levar acesso à energias renováveis para mais de 50 milhões de pessoas globalmente.

No Brasil, a meta de curto prazo, é desenvolver parcerias com distribuidoras, revendas e instituições de ensino técnico, principalmente nas regiões da Amazônia Legal e do Nordeste, para que os produtos de energia solar da organização cheguem aos mais necessitados e ajudar a desenvolver mão de obra qualificada.

“A eletricidade sustentável e moderna é essencial para melhorar o padrão de vida e as condições de saúde das pessoas, mas é também um fator chave para promover o desenvolvimento econômico, porque alavanca o acesso à educação, o aumento da produtividade de empreendedores e agricultores e de suas respectivas rendas, contribui com melhorias na saúde e qualidade de vida e realiza a transição para energias renováveis”, afirma João Carlos Salgueiro de Souza, gerente sênior de Sustentabilidade da Schneider para a América do Sul.

Segundo dados do estudo Tracking SDG 7: The Energy Progress Report (2021) — realizado pela Agência Internacional de Energia (IEA), Agência Internacional de Energia Renovável (Irena), Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU (UN DESA), Banco Mundial e Organização Mundial da Saúde (OMS) — atualmente, no mundo, são 759 milhões de pessoas sem acesso à energia elétrica. A WWF Brasil estima que no Brasil esse número ultrapassa um milhão de indivíduos. 990.103 destes estão localizadas no território da Amazônia Legal, de acordo com o Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA).

A iniciativa da Schneider existe desde 2009 e abrange as regiões da África, Oriente Médio, Sudeste Asiático e América do Sul. O programa combina três dimensões complementares:

Educação e empreendedorismo

Visa desenvolver competências na área da energia e apoiar empreendedores desta área, em particular as mulheres, para ajudar a criar uma cadeia de valor de energia nas regiões mais carentes. Em 2009 a empresa ofereceu uma formação gratuita com o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) sobre eletricidade a pessoas econômicamente vulneráveis em todo o país por meio do curso “Introdução à Eletricidade Básica Residencial”. Mais de mil pessoas, em 14 estados, participaram do curso no primeiro ano. O curso foi ampliado em 2010 e, até o momento, mais de 35 mil alunos foram capacitados com a instituição e outros parceiros.

Negócio social e inclusivo

Tem como objetivo assegurar a eletrificação rural coletiva e individual por meio de produtos de qualidade, como lanternas solares, sistemas solares domésticos, sistemas solares de bombeamento de água e soluções de microrrede solar. Com isso, é possível contribuir com a geração de empregos relacionados à distribuição de produtos, serviços de energia, agricultura, entre outros. Com início em 2012 no Brasil, a iniciativa surgiu de uma parceria entre a Schneider Electric e a Fundação Amazonas Sustentável, o SENAI e a CONIM, que implantou sistemas fotovoltaicos em comunidades ribeirinhas do Amazonas que sofriam com a falta de energia. Desde então, foram realizados uma série de projetos de eletrificação, acesso à água e doação e venda de soluções portáteis de iluminação solar em comunidades tradicionais, principalmente localizadas no norte do Brasil.

Investimento de impacto

Para impactar o acesso à energia e apoiar ainda mais as economias locais e empresas que atuam em prol dessa causa, foram criados e mobilizados fundos de investimento solidários ou de impacto no acesso à energia na África e Sudeste Asiático (regiões que concentram a maioria das pessoas sem acesso à energia no mundo). São eles:

  • Schneider Electric Energy Access Fund (SEEA) – apoia pequenas e médias empresas que desenvolvem soluções inovadoras para o acesso à energia;
  • Energy Access Ventures Fund (EAV) – investe 60 milhões de euros para transformar comunidades em toda a África e estimular o desenvolvimento econômico por meio de soluções de acesso à energia.

Abrangência do programa Acesso à Energia

Desde seu lançamento, o programa global já capacitou 287.620 pessoas na área da energia, mais de 900 empreendedores foram apoiados e mais de 27 milhões de pessoas tiveram acesso à energia graças aos produtos e soluções da Schneider Electric.

“O propósito da Schneider é possibilitar o máximo aproveitamento de nossa energia e de nossos recursos, garantindo progresso e sustentabilidade para todos. Chamamos isso de Life is On. Acreditamos que o acesso à energia e ao digital é um direito humano básico. Este programa foi a forma que encontramos de compartilhar nosso conhecimento para contribuir positivamente para a sociedade e o meio ambiente”, finaliza Salgueiro.

Lançamento

Esse mês, a empresa está ampliando sua oferta de acesso à energia com o lançamento de duas novas lanternas portáteis, da gama Mobiya. A Mobiya Lite é uma lanterna solar portátil com porta USB que permite carregar um celular e a Mobiya Front é uma lanterna  de cabeça com bateria de lítio integrada. Ambas as soluções são resistentes à água, tem função S.O.S, que ativa um modo pisca-alerta para chamar atenção em casos de emergência, e são produtos da linha sustentável da Schneider Electric, chamada Green Premium.


No Responses

Leave a Reply

  • (will not be published)